Idade média

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1076 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 9 de novembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
TRABALHO FILOSOFIA DA EDUCAÇÃO I
IDADE MÉDIA

“A decadência do Império Romano e as invasões dos chamados “bárbaros” determinaram o limite da influência da cultura greco-romana. Uma nova força espiritual se sucedeu à cultura antiga, preservando-a, mas submetendo-a a seu crivo ideológico: a Igreja católica”.
(Gadoti, Moacir. Histórias das idéiaspedagógicas. SP: Ática,1993)

“Eu teria desejado que tomasse da filosofia grega tudo aquilo que pode servir como propedêutica para introduzir o cristianismo”.
(Orígenes)

QUESTÕES:

Na tentativa de uma formulação doutrinária a fim de garantir uma unidade institucional, a filosofia grega terá grandeimportância nesse processo. A partir de textos selecionados e das discussões em sala de aula, trabalhe as seguintes questões:

a) Como Santo Agostinho se apropria da teoria platônica, no início da Idade Média, dentro do movimento da Patrística, como ele elabora uma filosofia cristã e uma teoria da educação a partir disso?(2,0)

Resposta:
Platão acredita que a educaçãoé inatista e o conhecimento é conquistado a partir do nível inferior, pelo método da dialética, que permite que o interlocutor reconheça a fragilidade de suas crenças e ver que aquilo que diz não é o que parece ser, exigindo uma atitude crítica, no intuito de buscar o conhecimento verdadeiro, transmitido do mestre ao aluno. Segundo Platão, a educação desempenha papel importante na sociedade,pois somente ela propicia ao indivíduo bem-estar e felicidade.
Devido à propagação do cristianismo na Grécia Antiga em várias comunidades, essa prática religiosa fez com que várias interpretações dos ensinamentos cristãos surgissem e conseqüentemente vários conflitos. Por esse motivo os filósofos e teólogos dessa época que acreditavam ser o cristianismo a “verdadeira filosofia”,organizaram-se em um movimento chamado “Patrística”, onde propunham uma doutrina única, ortodoxa, onde as divergências eram consideradas heresias. Esse movimento caracteriza-se pela defesa da fé e conversão dos cristãos, tentando harmonizar a fé e a razão para compreender a natureza.
Santo Agostinho apropria-se da teoria platônica adaptando-a segundo a visão cristã e, elaborando umafilosofia cristã,que acredita que a verdadeiro conhecimento, o saber não é transmitido pelo mestre ao aluno, mas do verdadeiro Mestre que é Deus, pois o “Cristo habita no homem interior” e a educação na verdade é uma auto-educação pois somente Deus pode iluminar a nossa escuridão. A filosofia cristã para Santo Agostinho tinha com fundamento racionalidade da fé cristã.
No tratado Sobre afilosofia cristã (livro II) defende que a filosofia antiga consiste em uma preparação da alma, útil para a compreensão da verdade revelada; porém, a “sabedoria do mundo” é limitada; sendo necessário, portanto, quanto aos ensinamentos religiosos, primeiro acreditar, para depois compreender, tomando por base o versículo de Isaías (7,9), “Se não crerdes, não entendereis”.

Santo Agostinho emsua teoria educacional nos mostra que não são as palavras do mestre exterior que conduz o discípulo à verdade, ao aprendizado, pois através das palavras só aprendemos palavras, porque elas podem ser mal interpretadas, portanto, elas não passam de meios pelos quais expressamos a verdade que está dentro de cada um de nós. É preciso envolver-nos na verdade interior que habita cada um de nós, a qualcada ser humano deve descobri-la e reconhecer seu único e verdadeiro Mestre que mora em seu interior.

Para santo Agostinho, é através das interrogações que se ensina. Mas quando falamos não significa que queremos ensinar qualquer coisa. Santo Agostinho diz, que quando falamos temos o intuito de ensinar ou relembrar algo aos outros ou a nós mesmos, visto que, as palavras são sinais...
tracking img