Ias 18 - ciencias contabeis

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1356 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 24 de outubro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
INTRODUÇÃO

As mudanças fazem parte de um ciclo natural de evolução. Evolção das pessoas, das sociedades, das organizações. A Contabilidade não está alheia a isso, muito pelo contrário, está sempre evoluindo. E a principal evolução da Contabilidade na 1ª decada do sévulo XXI no brasil (e também no mundo) é conhecida como a Convergência para as Normas Internacionais. Tais normas vêm sendoconstuídas desde 1973 pelo então International Accouting Standards Committe (IASC), transformado em 2001 para International Accouting Standards Board (IASB).
Durante a “era IASC”, as normas internacionais já existiam, porém, na prática, eram pouco adotadas. Eram citadas como uma referência contábil internacional, mas pouco praticadas pelas empresas, uma vez que estas respeitam as normas locais de seuspaíses.
Em 28 de Janeiro de 2010, o Conselho Federal de Contabilidade e o Comitê de Pronunciamentos Contábeis assinaram um Memorando de Entendimento (MoU) com o IASB que definiu o final de 2010 como a data-alvo para a convergência plena com as IFRS, e estabelece um quadro para a cooperação futura entre as organizações.
O movimento no sentido da convergência com as IFRS, foi iniciadopelo Banco Central do Brasil, refletindo a sua visão da importância de um único conjunto de normas internacionais de relato financeiro em uso ao redor do mundo, e os benefícios de tais normas para a economia brasileira. Em 2006, o Banco anunciou que as instituições financeiras sob sua supervisão deveriam cumprir com as IFRS, a partir de Dezembro de 2010 em suas demonstrações financeirasconsolidadas. Em 2007, a Comissão de Valores Mobiliários e da Autoridade de Seguros brasileiro emitiu decisões semelhantes. Estes desenvolvimentos foram seguidos por uma decisão do Congresso brasileiro para aprovar uma lei exigindo a convergência progressiva dos princípios contábeis brasileiros com as IFRS, para as contas individuais de todas as empresas cotadas e com fins lucrativos as grandes empresas apartir de 2008. .
O memorando de entendimento compromete os signatários a usar seus melhores esforços para garantir a aprovação regulatória necessária para a convergência e aguarda a aceitação do Brasil do IFRS para as PME. Também visa fomentar a participação brasileira noestabelecimento de normas internacionais de um maior envolvimento nas fases iniciais de projetos IASB, preparando assim o caminho para a rápida aceitação e adoção do IFRS no Brasil, e facilitando a sua correta aplicação.

DESENVOLVIMENTO

IAS 18 – RECEITAS (crédito)

O IAS 18 estabelece os critérios para mensuração e reconhecimento da receita, definida no Framework for the Preparation and Presentationof Financial Statement como “aumento de benefícios econômicos de passivos que resultem em aumentos no patrimônio líquido, que nao se relacionem com contribuições dos proprietários”.
1. Descrição sucinta da norma internacional
O objetivo desta norma é determinar o tratamento contábil de receitas que surjam de certos tipos de transações e acontecimentos, a questão principal da contabilização deuma receita é quando a mesma deve ser contabilizada, esta norma prevê que este reconhecimento se dá quando for provável que os benefícios econômicos futuros fluirão para a empresa e estes benefícios tenham uma base de mensuração confiável.
Esta Norma será aplicada na contabilização de receitas decorrentes das seguintes transações e eventos:
(a) venda de produtos;
(b) prestação de serviços; e
(c)uso, por outros, de ativos da entidade que rendam juros, royalties e dividendos.
Os critérios de reconhecimento nesta Norma são aplicados geralmente de forma separada a cada transação. Contudo, em determinadas circunstâncias, é necessário aplicar os critérios de reconhecimento aos componentes separadamente identificáveis, de uma única transação, para refletir a essência da transação. Por...
tracking img