Htlv

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 15 (3524 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 18 de julho de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
FACULDADE SOCIAL
CURSO: FISIOTERAPIA

CLEBER LUZ

AVALIAÇÃO DA CONTRAÇÃO VOLUNTÁRIA MÁXIMA EM PORTADORES DE HTLV

SALVADOR-BA
2010
DIEGO EDUARDO DOS SANTOS

AVALIAÇÃO DA CONTRAÇÃO VOLUNTÁRIA MÁXIMA EM PORTADORES DE HTLV

Projeto apresentado junto ao Curso de Fisioterapia da Faculdade Social da Bahia, na linha de pesquisa Princípios Biomecânicos damarcha e seus mecanismos patológicos, como requisito parcial à aprovação na disciplina de Trabalho de Conclusão de Curso I, sob orientação do professor MSc. Mansueto G. Neto.

SALVADOR-BA
2010
SUMÁRIO

1.INTRODUÇÃO 6
2.ANTECEDENTES E JUSTIFICATIVA 8
3.REFERENCIAL TEÓRICO 9
3.1.Esclerose Lateral Amiotrófica 9
3.2.Fisiopatologia do Sistema Neuromuscular na ELA 93.3.Biomecânica do Músculo Escolhido 9
3.3.1.Eletromiografia de Superfície 9
3.3.2.Parâmetros eletromiográficos na ELA 9
4.OBJETIVOS 10
5.MATERIAIS E MÉTODOS 1
4.1.Delineamento 11
4.2.Local 11
4.3.Período da coleta dos dados 11
4.4.Identificação das Variáveis 11
4.5.Seleção dos sujeitos da amostra 124.5.1. Critérios de inclusão 13
4.5.2.Critérios de exclusão 13
4.6.Aspectos Éticos 15
4.7.Instrumentação e Protolocos de Medidas 15
4.7.1.Sistema mecânico adaptado à CIVM na ELA 15
4.7.2.Eletromiografia 15
4.7.2.1.Preparação do indivíduo para a EMG 154.7.3.Dinamometria e eletrogoniometria 15
4.7.4.Contração Isométrica Voluntária Máxima 15
4.8.Procedimentos de Coleta 15
4.8.1.Pré-teste 15
4.8.2.Caracterização da Coleta EMG 15
4.9.Análise dos dados 15

5.VANTAGENS E LIMITAÇÕES DA PESQUISA 16
6.APLICABILIDADE DOS RESULTADOS 16
7.ETAPAS DA PESQUISA ECRONOGRAMA 16
8.ORÇAMENTO 18
9.FONTES DE FINANCIAMENTO 19
10.APOIO INSTITUCIONAL 19
11.REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 20
12.APÊNDICES 22
Apêndice A 24
13.ANEXOS 27
Anexo A 24
Anexo B 24
Anexo C 24

INTRODUÇÃO

De acordo com os critérios da Organização Mundial de Saúde (OMS), a paraparesia espástica tropical/mielopatia associada ao vírus HTLV-I(PET/MAH) é causada pelo retrovírus T - linfotrópico humano, com manifestações de paraparesia espástica dos MMII, que geralmente evolui para paraplegia.

No Brasil, uma das cidades com índices mais elevados é Salvador, com cerca de 1,76% da população infectada. A prevalência é maior em mulheres e aumenta com a idade, principalmente nos indivíduos com mais de 51 anos (8,4%), com impactação direta pelabaixa condição socioeconômica. Salvador possui uma população de 3 milhões de habitantes sendo que 80% são afro descendentes e desigualdades sociais importantes, possibilitando a disseminação desta afecção.

Os portadores se caracterizam por distúrbios de marcha, fraqueza e enrijecimento dos membros inferiores. O portador diminui gradativamente capacidade de deambulação, necessitando, ao longo dotempo, de auxílio para locomoção até o uso da cadeira de rodas. O encurtamento muscular é uma das principais causas de perda funcional dos MMII. A ineficiência mioneural reduz a qualidade excêntrica contrátil dos músculos do MMII durante a fase de apoio, que impede o paciente de controlar a duração e a intensidade da ação muscular durante todo o ciclo.

A presença de espasmo, espasticidade ehipertonia refletem a exacerbação do arco reflexo miotático, sendo considerado um marcador de gravidade clínica. Estes desajustes neuromusculares podem ser monitorados através da análise eletromiográfica dos músculos afetados, sendo um importante instrumento de avaliação prognóstica e cinesiológica. O conhecimento da atividade mioelétrica possibilita estabelecer estratégias para minimizar estes...
tracking img