Homo volens

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1444 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 5 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
HOMO VOLENS
(homem de vontade, liberdade e amor).
Distingui-se o homem do animal irracional na sua percepção, pois no homem existe certamente um apetite sensitivo, um conhecimento intelectivo, universal, abstrato. Ele sabe o que é o pão, a carne, o vinho e tem inclinações relativas a esses objetos, mas também conhece a glória, a virtude, a bondade, a coragem, a felicidade, e por isso além deapetite sensitivo é dotado também e especificamente de apetite intelectivo o qual denominamos “vontade”.
VONTADE
O estudo da vontade nos fez constatar que ela caracteriza o homem essencialmente: o homem é decididamente um Homo Volens. Ele se distingue dos outros seres, sobretudo porque é dotado de vontade. São-lhe tributados elogios e infligidos castigos porque as suas ações são guiadas edeterminadas pelo seu querer.
O homem de vontade é aquele homem decidido, livre e de caráter. Essas expressões são usadas para designar um ideal de homem. Não podemos dizer que o homem é só somaticidade, só vida, só inteligência; ele é muito mais do que ele mesmo pensa de si. Ele está além. É homem dotado de vontade.
Com todo conhecimento que temos do homem é ainda muito pouco paradizermos quem é o ele em sua essência.
A nossa vontade não está nunca contente com o que realizou ou adquiriu. Existe nela um impulso potente para autronscender-se que não se aplaca nunca. Continua a escolher e a descartar, a fazer e a abandonar. Dilatar-se sobre todas as coisas e sobre todos os projetos realizados, com uma soberania ilimitada.
A filosofia grega nos ofereceu grandesauxilio para o problema porque acreditava que todas as coisas estavam sujeitas ao destino, aos deuses, e porque o homem é escravo da engrenagem da história, concebida como um movimento cíclico em que tudo se repete periodicamente.



LIBERDADE
O homem livre é aquele que é semelhante ao vento, não se prende e nem se deixa prender. Mesmo preso, se seu espírito é livre e sua mente desperta, asgrades e grilhões não o podem prender e nem ele se deixa prender porque a liberdade transcende as circunstâncias e situações.
Definimos liberdade como ausência de constrangimento tanto físico, moral, psicológica, política e social, sendo a psicológica a senhora soberana sobre as situações determinantes do poder de decidir por si mesmo.
Dentro da filosofia grega a liberdade é umproblema de difícil compreensão, não conseguindo, porém uma investigação satisfatória.
Segundo J. P. Sartre o homem está condenado a ser livre, cabe a ele a escolha, e mesmo não escolhendo ainda assim escolheu.
Já Santo Tomas diz que o ato livre se desenvolve de três momentos: deliberação, juízo e eleição, escolher ou eleger cabe à razão e ao intelecto, ambos com a finalidade do bemconcreto alicerçada na vontade.
Segundo o filósofo Aristóteles, a liberdade é algo que se baseia na escolha. É fazer exatamente o que queremos, com responsabilidade, em vista do sumo bem. A liberdade está dentro de cada ser humano.
Nós seres humanos temos nossa liberdade, essa que nos dar a possibilidade de escolher, e com as escolhas nos revelamos quem somos.
Podemos distinguir algunstipos de liberdade que fazem parte da vida do homem:
-liberdade física: refere-se à liberdade do corpo de poder ir e vir deitar-se ou não.
- liberdade moral é aquilo que se submete a um valor, cumprimento do dever, pelo ato de vontade.
-liberdade política: a positiva, que consiste na participação direta, pessoal e contínua dos cidadãos na vida política,
E a negativa, em que os cidadãosdedicam-se aos seus assuntos particulares, delegando a responsabilidade pelos assuntos políticos aos seus representantes.
-Liberdade psicológica que é essa possibilidade radical de podemos decidir por nós mesmos.
No período cristão, o problema da liberdade assume um caráter teocêntrico. A natureza e a história não estão mais acima do homem, mas a seu serviço.
No período moderno, a perspectiva...
tracking img