Homem e sociedade - o que é etnocentrismo?

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1197 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 9 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
ÍNDICE

1. Introdução ____________________________________________________03

2. Alfred Reginald Radcliffe-Brown ___________________________________ 04

3. Émile Durkheim ________________________________________________ 05

4. Bronislaw Kasper Malinowski ____________________________________ 06

5. Conclusão ____________________________________________________ 07

1. IntroduçãoNeste capítulo, “Voando Alto”, Rocha comparando o evolucionismo e o difusionismo, por mais distantes que pareçam ter sido, dita que tem algo em comum, ou seja, ambos os trabalhos produzidos demonstravam a permanência de um tema. Era a história sempre a permear os estudos e reflexões em quase toda a literatura sobre as culturas humanas.

?
Evolucionismo “H”
“h” Difusionismo

Para oevolucionismo a história tinha “H” maiúsculo, era única para toda a humanidade. Para o difusionismo a história tinha “h” minúsculo, de cada cultura particular, específica. A história, no entanto, cada uma a sua maneira, permanece como tema de importância central no estudo da cultura para as duas escolas.

?
Etnocentrismo
“eu”


?Relativismo
“outro”
Rocha relata os principais movimentos de relativização dentro da Antropologia, pois mostra que juntamente com Boas, Durkheaim, Malinowski e Radcliffe-Brown, os cenários e enredos confirmam que o grupo do "outro" está cada vez mais perto, passível de contrastes e escolhas.

Rocha mostra também que com o avanço das pesquisas esses autores começaram a socializar mais aperspectiva relativizadora, pois a afirmação do trabalho de campo acabou obrigando o encontro do "eu” com o “outro”.

Neste trabalho, vamos ver como Rocha relata em seu livro os trabalhos para a relativização dentro da Antropologia de Radcliffe-Brown, Durkheaim e Malinowski e conhecê-los um pouco.


2. Alfred Reginald Radcliffe-Brown

“Desenvolveu muita das teorias e conceitos em que fundou todo oseu pensamento antropológico e social prestando especial atenção às questões da organização familiar e à estrutura do parentesco. Procurou explicar a realidade social como um sistema ativo em que os diferentes elementos interdependentes funcionam consistentemente para o equilíbrio geral (uma perspectiva estrutural-funcionalista).” Fonte: http://www.infopedia.pt/$radcliffe-brown

Segundo oautor, Radcliffe-Brown discordou da vinculação que existia entre a compreensão do presente de uma cultura e o estudo do seu passado. Ou seja, o presente não precisava ser necessariamente explicado pelo passado. Em termos mais técnicos a sincronia (presente) não esta submetida à diacronia (história).
Sincronia
Diacronia
Tanto sincronia como diacronia resultam em perspectivas diferentes de comoconduzir um estudo antropológico. Para o historicista, seja ele evolucionista ou difusionista, o presente se conhece pelo passado e estudar a história das culturas significa conhecer a verdadeira dimensão da cultura, tese que não concordava Radcliffe-Brown. Ou seja, para ele a história conjetural, especulativa, contrastava fortemente com sua proposta de estudo funcional das sociedades.Radcliffe-Brown ao utilizar este adjetivo funcional, deixa uma marca profunda na opção da Antropologia em direção a relativizar. Assim, o funcionalismo ao se opor ao estudo diacrônico e se conjugar com os estudos sincrônicos, desvincula a história e começa a estudar a sociedade do “outro” sem se preocupar com o seu passado, fazendo-se que o “outro” se mostre como é realmente.
Processo
Função
Estrutura
ParaRadcliffe-Brown, a sincronia deveria ser analisada por conceitos bem preciosos, como “processo”, “estrutura” e “função”, que formavam um esquema interpretativo da realidade social. Radcliffe-Brown para explicar estes conceitos, comparava o sistema social ao corpo humano.

3. Émile Durkheim

“Seu principal trabalho é na reflexão e no reconhecimento da existência de uma "Consciência...
tracking img