Homem e meio ambiente

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 45 (11192 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 21 de fevereiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Revista de Economia Política, vol. 27, nº 1 (105), pp. 108-129, janeiro-março/2007

As razões do laissez-faire: uma análise do ataque ao mercantilismo e da defesa da liberdade econômica na Riqueza das Nações
LAURA VALLADÃO DE MATTOS*

The reasons of the laissez-faire: an analysis of the attack to mercantilism and of the defense of economic liberty in The Wealth of Nations. The main reasonspresented in The Wealth of Nations to advocate the system of economic liberty and reject mercantilism are analyzed. These two systems are evaluated considering basically their impact on the annual product, and the degree of liberty and justice they engender. Based on his views of man and of capital hierarchy, Smith defends the superiority of economic liberty in what concerns the growth of theannual product. This system is also considered superior to mercantilism in terms of justice since it does not privilege any sector of society and allows a great level of liberty to the individuals. Key-words: Adam Smith, liberalismo econômico, mercantilismo, justiça, acumulação de capital. JEL classification: B12.

INTRODUÇÃO Como nota Rosenberg, praticamente “(...) qualquer pessoa instruídasubmetida a um teste de associação de palavras, quando solicitada a identificar algum

* Da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) E-mail: lauramat@uol.com.br Este artigo foi elaborado como parte dos meus deveres como bolsista de Produtividade em pesquisa do CNPq — agradeço o apoio financeiro concedido. Agradeço também os comentários de Raul Cristóvão dos Santos, Antônio Carlos dosSantos, José Eduardo Godoy Jr. e Darcio Genicolo Martins. Por fim, gostaria de registrar a minha dívida intelectual com o Raul Cristóvão dos Santos — que influenciou sobremaneira a minha visão sobre Adam Smith. Tenho mantido conversas sobre Smith com o Raul há mais de uma década e boa parte da motivação para escrever este artigo surgiu de comentários instigantes feitos por ele. Submetido: junho 2005;aceito: outubro 2005.

108

Revista de Economia Política 27 (1), 2007

personagem histórico com o termo ‘laissez-faire’ responderia ‘Adam Smith’”(Rosenberg, 1979: 20). A metáfora da mão-invisível de Smith habita o imaginário de quase todos os economistas, e é, em geral, interpretada como representando a idéia de que o “mercado” seria uma instituição capaz de “transformar” o auto-interesseindividual em benefícios sociais, sem a necessidade de intervenção da “mão-visível” do Estado1. A este cumpriria apenas garantir a ordem institucional e administrar a justiça. Nesta interpretação convencional (ou canonizada) Smith é representado como sendo um “(....) apologista do capitalismo liberal, o pregador do desejo ininterrupto dos indivíduos melhorarem suas condições, o porta-voz do livrecomércio (free-trade)” (Winch, 1994:60)2. Ao longo do tempo, diversos esforços foram empreendidos no sentido de corrigir e qualificar esta visão. As inúmeras funções sociais e econômicas atribuídas por Smith ao Estado na Riqueza das Nações (doravante RN) foram enfatizadas, as suas posições políticas foram analisadas e a compreensão dos especialistas refinou-se consideravelmente.3 No entanto, a visão“canonizada” em pouco se modificou. No aspecto específico que este artigo pretende abordar, é possível observar que apesar de Smith ser consensualmente associado à liberdade econômica, há muitas distorções na visão mais corrente sobre o autor no que concerne ao significado que esta assumiu em sua obra e às razões que ele aponta para a sua defesa. Não há como negar que Smith criticou duramente asdiversas regulamentações e privilégios encampados pelos Estados nacionais de sua época e contrapôs a este conjunto de intervenções o seu ‘sistema de liberdade natural’. No entanto,

1 Brown (1994:166) enfatiza que, em geral, se associa a metáfora da mão invisível ao mecanismo pelo qual mercados competitivos atingem uma alocação eficiente dos recursos, e chama a atenção para a inadequação desta...
tracking img