Historia do pensamento economico

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 135 (33703 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 2 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
HISTÓRIA DO PENSAMENTO ECONÔMICO
Roberto de Oliveira, Adilson Gennari

Capítulo 1 - As análises econômicas na Antiguidade

1.1 Xenofonte e Ho oikonomikos - A palavra “economia” vem do grego oikonomikos: oikos = casa ou unidade doméstica; nem = regulamentar, administrar, organizar.
Xenofonte (431 a.C.-355 a.C.), pensador grego, escreveu Ho oikonomikos:três pilares sustentam o conceito - agestão dos bens, o domínio sobre o núcleo familiar e os escravos;
as considerações do autor não constituem uma análise econômica propriamente dita.
Entre os romanos, a palavra correspondente a oikonomikos era “família”, que articulava três esferas de significado: o dominium (poder sobre os bens), o manus (poder sobre as mulheres e as mulheres dos filhos) e o potestas (poder sobre os filhos,netos e escravos).
1.2 Platão e as considerações sobre a vida econômica - Platão (428-27 a.C.-348-47 a.C.) também abordou a vida econômica de uma perspectiva ética, mas seu foco era a pólis. A pólis é o ambiente no qual os homens cooperam entre si para produzir e obter, por meio da troca, os produtos de que necessitam para viver melhor. Deve-se a Platão a primeira análise que atribui à divisãosocial do trabalho o papel de promover a coesão da comunidade.
1.3 Aristóteles e a economia antiga - Para Aristóteles (384 a.C.-322 a.C.), assim como para Platão, o desenvolvimento do indivíduo e a promoção do bem comum só poderiam ser atingidos pela vida em comunidade no seio da pólis. A sobrevivência de cada família em particular e da cidade como um todo depende de relações de intercâmbio (arteda aquisição) com a natureza e com outros homens.
Existem dois tipos de arte da aquisição:
* aquisição natural – conjunto de atividades que visa obter os alimentos e os meios necessários à vida;
* aquisição artificial – todo tipo de atividade que elege o aumento da riqueza como um fim em si mesmo e não estabelece limite de acumulação.
O aparecimento da propriedade e do excedente econômicopropiciou o surgimento da troca.
Aristóteles formulou dois conceitos-chave para o desenvolvimento do pensamento econômico: valor de uso e valor de troca. Denomina troca o intercâmbio de produtos que visa atender às necessidades de consumo e afirma que ela não contraria as intenções da natureza. O comércio é uma modalidade de troca que consiste em comprar para vender mais caro, tem como meta oenriquecimento e contraria os fins da natureza. Com a ampliação do intercâmbio, surgiu a necessidade de um meio para facilitar as trocas e, por isso, os homens criaram a moeda. Além de meio de troca, a moeda tornou-se reserva de valor (riqueza) e meio de enriquecimento (capital usurário). Aristóteles reconhecia que, entre as maneiras de se adquirirem produtos pela troca, o comércio era o principal.Com relação ao trabalho, duas idéias relevantes:
* Um “trabalho” deve ser mais valorizado quanto mais a arte e a habilidade humanas o tornam diferente do estado em que se encontra na natureza.
* O trabalho manual mais simples, que, em geral, era realizado por escravos, era indigno dos grupos sociais que detinham a autoridade e o poder de decidir os destinos da pólis.
O desenvolvimentodo cidadão e a promoção do bem comum dependem de uma disponibilidade moderada de bens úteis e necessários que sejam compatíveis com o objetivo moral da família e da pólis.
Três aspectos merecem destaque:
1 - o gozo dos bens privados no contexto da pólis;
2 - a distribuição dos bens entre os cidadãos;
3 - a maneira como devem ser trocados.
Tanto a avareza quanto a “prodigalidade” sãocondenadas em nome da liberalidade, que seria “um meio-termo no tocante ao dar e ao tomar riquezas”.Com relação ao problema da distribuição da riqueza, Aristóteles constatava que uma desigualdade excessiva entre os cidadãos colocava em risco a estabilidade política e a coesão da comunidade. A estabilidade da pólis dependia também da existência de uma numerosa “classe média”, que teria o papel de mediar...
tracking img