Historia do brasil

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1047 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 18 de agosto de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Breve História do Trabalho Rural no Brasil
Julieta Teresa Aier de Oliveira
1
O trabalho humano da forma como o temos hoje é fruto de intensas e profundas
transformações das relações sociais, econômicas e políticas pelas quais passou o mundo no
último século.
Estas transformações foram de tal importância que trouxeram para a análise do
trabalho a necessidade da transcendência àclássica divisão econômica de setores primário,
secundário e terciário.
Hoje, o mundo rural não é mais um espaço isolado sobre o qual se desenvolve um
conjunto de atividades agropecuárias. O isolamento não mais existe, pelo menos em grande
parte do território nacional. Estamos caminhando em direção a uma sociedade de forte
complementaridade urbano-rural, na qual caberia ao rural novos papeisalém da oferta de
alimentos e matérias-primas, especialmente aqueles relacionados à sustentação da vida no
planeta. A diversidade se faz aí presente, seja nos tipos de produtos, na tecnologia empregada,
nos mercados de insumos e produtos, seja entre atores sociais.
Definições simples para trabalho podem ser obtidas em dicionários, como por
exemplo: “aplicação das forças e faculdadeshumanas para alcançar um determinado fim”
ou ainda “atividade coordenada, de caráter físico e/ou intelectual, necessária à realização de
qualquer tarefa, serviço ou empreendimento”. Estas definições, por mais simples que sejam,
nos mostram que o ato de trabalho está relacionado a um resultado, a algo que se produz
(material ou não), à maneira como é produzido (envolvendo capital,conhecimento, tecnologia
e insumos) e, principalmente, a quem o realiza.
Nesse sentido torna-se interessante resgatarmos, ainda que brevemente, a história do
trabalho rural no Brasil como o intuito de melhor entendermos quem são os atuais atores
sociais responsáveis por importante parcela da riqueza gerada nos campos deste país. Nesse
resgate voltamos ao período de nossa colonização, pois, como bemmostrou Caio Prado
Junior, o tipo particular de colonização a que fomos sujeitos, muito diferente de outras
colônias que se instalaram na América do Norte no século XVII, marcou profundamente as
relações de trabalho no Brasil. Diferentemente destes, nossos colonizadores vieram com o
objetivo primordial de enriquecimento rápido baseado na explorando dos recursos e do1
Engenheira Agrônoma, Doutora em Engenharia Agrícola, Profissional de Pesquisa da FEAGRI/UNICAMP. Email: julieta@agr.unicamp.br trabalho servil (indígena num primeiro momento e escravo de origem africana num segundo
período).
Três componentes fundamentais marcaram a organização social do Brasil-Colônia: a
grande propriedade fundiária (latifúndios herdadosdas capitanias hereditárias e sesmarias), a
monocultura de exportação (voltada ao atendimento de requisitos econômicos da Metrópole
portuguesa) e o trabalho escravo.
Outras formas de exploração da natureza, como a pecuária extensiva nas regiões não
muito distantes da costa marítima ou as pequenas lavouras de subsistência nas áreas de
interstícios das grandes lavouras, constituíram-se comoatividades marginais e subordinadas à
economia colonial, exercendo a função primordial da produção de gêneros complementares às
culturas de exportação, fundamentalmente alimentos como mandioca, milho e arroz para
consumo interno. Aqui temos a gênese do que hoje conhecemos como pequena agricultura
familiar.
As duas últimas décadas do século XIX marcam o período da constituição domercado
de trabalho brasileiro com características capitalista, formado por trabalhadores livres sem
posses de meios de produção, ou seja, os escravos recém libertos, os trabalhadores livres
nacionais da economia de subsistência e os imigrantes europeus.
A mão-de-obra imigrante européia foi particularmente importante para o
desenvolvimento da economia do Estado de São Paulo, graças a um...
tracking img