Historia de arte

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1457 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 15 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Módulo 3. A Cultura do Mosteiro
• Tronco comum (Tempo, Espaço, Biografia, Local, Acontecimento, Sínteses, Casos Práticos);
• A Arquitectura Românica;
• A Escultura Românica;
• As artes da cor: pintura, mosaico, iluminura;
• A Europa sob o signo de Alá.

CONTEXTO

- Queda do império romano do ocidente

- Invasões bárbaras

- Grande violência muitas mortes diminuição dapopulação grande insegurança fuga para o campo

- Declínio das cidades e maior importância rural

- Declínio do comércio e da circulação da moeda

- Aumento da importância da agricultura, da pastorícia e da troca directa.

- Declínio do governo e administrações romanas

- Feudalismo e relações ''feudovassálicas'' fruto da insegurança da época: aspessoas mais humildes colocam-se sob a protecção dos grande senhores feudais, da nobreza e do clero e em troca trabalhavam para eles e pagavam impostos.

- O único poder intacto é o cristianismo aumenta-o e torna-se uma religião ligada ao desenvolvimento da arte e da cultura e da melhoria dos costumes.

MOSTEIROS

- Monaquismo, movimento que originou os mosteiros, iniciou-se no orientee rapidamente se espalhou pela Europa ocidental
- Desejo de isolamento para atingir o ascetismo – meditação e contemplação de Deus
- Na sua génese, os mosteiros não tinham regras, que surgem mais tarde com S. Bento de Nursia a partir dos séculos VI e VII
- Regras em latim – simples, directas, rigorosas e com grande disciplina. Tinham horários de trabalho e oração e ainda castigos.
- Centros decultura (única classe social letrada e que possuía todo o tipo de conhecimentos + iluminuras)
- *zonas: no centro uma igreja de cruz latina e uma basílica, um claustro com colunas e arcadas. Atrás da igreja estava a escola, a oficina de leitura e escrita (scriptorium). A sul do claustro: o refeitório, a cozinha, as despensas, as adegas, as casas de banho, os estábulos, oficinas, zonas agrícolas…A oeste ficavam os noviços, dos hospedes, dos doentes, a botica e o cemitério.

ARQUITECTURA ROMÂNICA

ARQUITECTURA CIVIL com os castelos e torres com o fito de defesa.
- Inicialmente formados por uma só torre, grande e maciça com armazéns, cozinha, despensa, salão, quartos, por vezes casas de banho e no topo a zona dos sentinelas.
- Com o passar do tempo foram adquirindo à volta,celeiros, estábulos, oficinas, casas dos criados, uma muralha e por vezes um fosso.
ARQUITECTURA RELIGIOSA com os mosteiros cujas duas zonas* mais significativas eram os claustros e as igrejas
- o claustro como centro organizador do mosteiro, possuía uma cuidada decoração escultórica, rica em contrastes de luz nas zona central e de penumbra nas galerias.
- A igreja românica, basilical de planta em cruzlatina, grega, planta circular o octogonal. Tinha 3 a 5 naves, o transepto e o cruzeiro, o altar-mor, o deambulatório e a cripta. Apoiava-se em pilares, colunas, contrafortes e arcos de volta perfeita. Era coberta em abobada de berço e de aresta. Tinha pouca iluminação com janelas, frestas, torres lanterna e clerestório.

O RELEVO ROMÂNICO

- Elemento decorativo muito importante nas igrejas –nos tímpanos, capitéis, colunas e portas.
- Grande carácter narrativo, pedagógico e moralizantes, tendo como principais temáticas: cenas da bíblia, do quotidiano, animais, motivos geométricos, motivos vegetalistas, figuras monstruosas e signos do zodíaco.
- Muito importantes numa época em que a maioria da população era analfabeta já que contavam histórias, lendas, episódios da vida de Cristo eum tema particularmente usado era o do juízo final nos pórticos das igreja causando um grande impacto nos fiéis ao entrarem no edifício – imagens fantásticas e terríveis de Cristo em majestade julgando severamente os homens, à sua direita os bem-aventurados e à esquerda os pecadores e o inferno.
- As suas principais características são: as figuras esquemáticas e geométricas, pouco realismo e...
tracking img