Histologia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1165 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 29 de novembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Criação e Terminação – Cuidados com os leitões recém - nascidos

Imediatamente após a expulsão , o leitão de ser limpo e seco usando panos limpos ou papel "toalha" absorvente, pois ele nasce envolto em restos de membranas fetais, que devem ser removidas principalmente das narinas para que não obstrua a respiração. Algumas massagens no dorso e na região pulmonar são aconselhadas para ativar acirculação e a respiração imediatamente após o parto. O corte do cordão umbilical deve ser feito a 3 a 5 cm de sua inserção, deve ser feito uma ligadura, para isso usar um cordão previamente desinfetado ou embebido em desinfetante, e usar tesoura cirúrgica desinfetada para o corte. Para a desinfecção do umbigo, usar um frasco com boca larga contendo tintura de iodo a 5% ou iodo glicerinado.Imergir o umbigo nesta solução pressionando o frasco contra o abdômen do leitão e fazer um movimento de 180º para que o desinfetante

atinja a base do umbigo devendo permanecer em contato por 3 a 5 segundos nessa

solução (MACHADO, 1967; SOBESTIAMSKY et al., 1998; LIMA et al., 2004).

Os leitões nascem com oito dentes, quatro caninos e quatro pré-molares que

ao nascer são relativamentepontiagudos e sua tendência normal é crescer para fora

da cavidade bucal com isso há a necessidade destes dentes serem cortados rente a

gengiva com auxílio de alicate desinfetado, para evitar ferimentos nas tetas da porca

e nos companheiros de leitegada. O corte do último terço da cauda, que também é

feito com alicate, é adotado como medida preventiva contra canibalismo, ou seja, ohábito dos suínos morderem a cauda uns dos outros e que pode determinar sérios

danos ao animal, hoje em dia já se encontra cortadores que cauterizam logo após o

corte para evitar hemorragia (DALLA COSTA et al., 1987 e SOBESTIANSKY et al.,

1998).

Nas granjas de alta produção e granjas onde o manejo é bem realizado para

um melhor controle a marcação das leitegadas pode ser feita no métodoAustraliano

de marcação que é o método oficial da Associação Brasileira de Criadores de

Suínos (ABCS) que consiste em piques e furos nas orelhas, que são feitos com

auxílio de um alicate especial contendo um perfurador circular, a marcação nos

indica: 800= furo no meio da orelha esquerda; 400= furo no meio da orelha direita;

200= um pique na ponta da orelha esquerda; 100= um piquena ponta da orelha

direita; 30= um pique na borda superior esquerda; 3= um pique na borda superior da

orelha direita; 10= um pique na borda inferior da orelha esquerda e 1= um pique na

borda inferior da orelha direita seu único problema é que limitado em um número

máximo de 1599 animais, outro método que pode ser utilizado é a tatuagem na

orelha, com um único defeito que avisualização fica dificultada dependendo da raça

do animal pela sua morfologia isso ocorre nas raças Landrace, Duroc e em algumas

raças sintéticas que herdam essa característica de orelha caída e o uso de brincos

também pode ser empregado (BERTOLIN, 1992; MAQUEDA, 1999; LIMA et al. 2004

entre outros) .

Ao nascer o leitão praticamente não tem nenhuma proteção contra

microorganismopatogênicos existentes no seu novo ambiente, com os quais nunca

esteve em contato. Os anticorpos ou imunoglobulinas desenvolvidos pela porca para

a sua proteção e para proteção dos leitões não são transferidos através da placenta.

Os fetos têm baixa capacidade de produzir anticorpos. Eles tornam-se

imunocompetentes somente a partir dos 70 dias de gestação, entretanto, geralmente

não produzemanticorpos pelo fato de não estarem expostos a agentes infecciosos

durante a vida intrauterina. O leitão recebe passivamente os anticorpos da mãe

através da ingestão do colostro o qual também é chamado de primeiro leite, a

absorção dos anticorpos depende da capacidade de absorção do epitélio intestinal e

essa absorção começa a diminuir após 24 a 36 horas após o nascimento....
tracking img