Hildegard peplau - teorista de enfermagem

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 11 (2700 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 22 de janeiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
SUMÁRIO

VIDA ACADÊMICA, PROFISSIONAL E BIOGRAFIA DE HILDEGARD PEPLAU..................3
TEORIA DE HILDEGARD PEPLAU........................................................................................4 e 5
EXEMPLO DA APLICABILIDADE DA TEORIA DE HILDEGARD PEPLAU NA ENFERMAGEMBRASILEIRA.......................................................................................................................6,7,8 e 9
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS........................................................................................10

BIOGRAFIA DE HILDEGARD PEPLAU
Hildegard Elizabeth Peplau nasceu em 1º de setembro de 1909 em Reading, na Pensilvânia. Na infância, presenciou a epidemia de gripe ocorrida em 1918, fato que influenciou sobremaneira em sua compreensão sobre o impacto daenfermidade e da morte para as famílias . Sua carreira na enfermagem teve início em 1931 com sua graduação em um programa de enfermagem em Pottstown, Pensilvânia. Graduou-se em Psicologia Interpessoal, em 1943 no "Bennington College" onde atuou como enfermeira . Entre os anos de 1943 e 1945 compôs o grupo de enfermeiras do Exército dos Estados Unidos, onde teve a oportunidade de conhecer ospsiquiatras mais importantes do mundo, como: Harry Stack Sullivan, Abraham H. Maslow e Sigmund Freud. Obteve seus títulos de Mestre e Doutora em Enfermagem Psiquiátrica no "Teachers College" da Universidade de Columbia, onde, no início dos anos cinqüenta, ministrou aulas de enfermagem psiquiátrica. No ano de 1948 concluiu o livro "Interpersonal Relations in Nursing“, como parte se sua tese. Também obteveformação em psicanálise pelo Instituto William Alanson White de Nova York.(FLORÊNCIO; MÁRCIA, 2009)
De 1954 a 1974 trabalhou como professora da Faculdade de Enfermagem de Rutgers e ali criou o primeiro programa de pós-graduação em enfermagem psiquiátrica. Foi consultora da Organização Mundial de Saúde e professora visitante em universidades da África, América Latina, Europa e Estados Unidos. Foi aúnica enfermeira a exercer os cargos de diretora executiva e presidenta da Associação de Enfermeiras Americanas (ANA). Trabalhou junto ao Conselho Internacional de Enfermagem (CIE) por dois períodos.Faleceu em 17 de março de 1999, aos 89 anos, em sua casa em Sherman Oaks, Califórnia, após uma trajetória que influenciou profundamente a enfermagem a ponto de ela ser considerada a "enfermeira doséculo" e destacada, na área da psiquiatria, como "a mãe da enfermagem psiquiátrica".(FLORÊNCIO; MÁRCIA, 2009)

TEORIA
Em sua teoria, Peplau opta por descrever o processo de relação interpessoal da enfermagem em quatro fases: orientação, identificação, exploração e resolução. Essas etapas estão superpostas e devem ser consideradas de forma relacionada. (DAMASCENO; MARTA, 2004)
Na fase deorientação, o paciente apresenta uma necessidade e solicita ajuda profissional. A enfermeira, inicialmente, identifica as necessidades do paciente, o qual, durante a interação, fornece muitas pistas a respeito de como visualiza a dificuldade que está experimentando e oferece à enfermeira a oportunidade de reconhecer suas carências de informação e compreensão acerca do problema. Diante das necessidadesidentificadas, a enfermeira, em colaboração com outros componentes da equipe de saúde, orienta o paciente acerca do problema e de suas implicações. A tensão e a ansiedade apresentadas por esse paciente em decorrência de suas necessidades devem ser levadas em consideração na fase de orientação, pois, caso contrário, não haverá êxito em tentar relacionar a sua experiência atual com as anteriores. Oambiente hospitalar é propício para a etapa, já que no momento da hospitalização, os sentidos do paciente estão mais aguçados e ele passa a observar detalhes cada vez menores, o que destaca a importância de, na fase de orientação, estar atento a qualquer necessidade do paciente mesmo que pareça irrelevante ou de menor importância. (DAMASCENO; MARTA, 2004)
À medida que a relação avança, passa-se à...
tracking img