Higienismo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1543 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 14 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
A Educação Física suscita ainda muitos questionamentos nos dias atuais, principalmente na escola. Qual a sua relevância? Onde e como ela atua? Quais são seus pressupostos temáticos e conteúdos?

Essas são indagações plausíveis de serem feitas na atualidade, principalmente em um campo dicotômico como é a Educação Física (REZENDE et al., 2010).

Por esses questionamentos é queobjetiva-se com este trabalho discutir a ação da Educação Física, partindo de sua historicidade, influências sofridas ao longo do tempo e sua inserção na escola.

Este trabalho se justifica em virtude da obrigatoriedade da Educação Física como disciplina na Educação Básica brasileira o que deveria gerar novos questionamentos relacionados à relação Educação Física/Escola.

O método de revisão deliteratura em periódicos e artigos indexados em bases de dados nacionais e internacionais, revistas e livros foram consultados visando dar subsídios ao desenvolvimento do tema.

Introdução

A educação física no Brasil teve fortíssimas influências médico-biológicas, onde a saúde, higiene e eugenia eram as bases para a sua prática (BRASIL, 1998; DARIDO, RANGEL, 2005).

Ao final dosanos 60 o Brasil atravessava um período ditatorial e o controle da sociedade em todos os seus aspectos era uma política de Estado (FERREIRA, BITTAR, 2008). Com isso o governo, visava o controle das consciências que poderiam se opor as suas diretrizes, geralmente opressoras.

Como política governamental, o Estado investiu na Educação Física visando o desenvolvimento do nacionalismo integrativo,o fortalecimento dos jovens e, por conseguinte das forças armadas e, finalmente, o desenvolvimento da força produtiva de trabalho. Essa política foi colocada em prática pelas Leis 5.540/68, 5.692/71 e decreto 69.450/71 (TABORDA DE OLIVEIRA, 2002; BRACHT, 1999). Além desses objetivos, outro em particular foi fomentado com essas políticas públicas: a busca por talentos que pudessem representar opaís em competições internacionais (BRASIL, 1998).

Nessa conjuntura a Educação Física servia bem aos propósitos de um governo controlador e repressor (GERMANO, 1993).

A partir do final dos anos 70, com a titulação de doutores e mestres a Educação Física passou a ter contato com teorias contrárias ao modelo vigente (esporte/aptidão física) (BETTI, 1992). Nas palavras de Darido (1999)“[...] na tentativa de romper com o modelo hegemônico [...] são elaborados os primeiros pressupostos teóricos num referencial crítico”.

Muito embora alguns autores já demonstrassem suas ideias dentro das características de uma abordagem crítica, onde se podem citar como exemplo as publicações "Educação Física cuida do corpo... e mente" (MEDINA, 1983), "Prática da Educação Física no primeirograu: Modelo de reprodução ou perspectiva de transformação?" (COSTA, 1984), "Educação Física e aprendizagem social" (BRACHT, 1992), a publicação "Metodologia do ensino da Educação Física” publicada por um coletivo de autores em 1992 é considerada como a célula-mater desta abordagem (DARIDO, 1999).

O objetivo central da Educação Física

O real objetivo da Educação Física na contextualizaçãocrítica e por assim dizer reflexiva é levar o educando a conhecer a Cultura Corporal do Movimento (CCM). Essa forma de cultura abrange tudo o que o homem criou ao longo do tempo relacionado ao corpo e o movimento: Jogos, danças, lutas, esporte, ginástica, etc. (NEIRA, 2009).

Contudo engana-se quem pensa ser a Educação Física uma disciplina que ensina, corrige e aprimora apenas o movimento.A Educação Física, ao se basear na CCM, problematiza questões sociais diversas, interpreta fatos cotidianos, constrói conhecimentos com características autônomas e de liberdade crítica. Nas palavras de Kunz (1994):

‘...não se elimina o interesse do movimento que é específico do Esporte, da Aprendizagem motora, da Dança, ou das atividades lúdicas enquanto conteúdo específico da...
tracking img