Higiene ocupacional

 Higiene Ocupacional
    A HIGIENE OCUPACIONAL é uma ciência e uma arte que tem por objetivo o reconhecimento, avaliação, análise e controle dos agentes agressivos nos postos de trabalho, prevenindo contra riscos operacionais que possam gerar acidentes de trabalho ou provocar enfermidades, prejuízos à saúde e mal-estar, desconforto significativo e ineficiência nos trabalhadores ou entre ascomunidades vizinhas e ao meio ambiente.

Desenvolvimento
    O SEEST desenvolve a Higiene Ocupacional nas empresas em toda sua amplitude e etapas de trabalho, estruturando, avaliando os agentes ambientais, considerando o meio ambiente e seus recursos naturais.
.....Após estas análises é desenvolvido um programa de combate e monitoramento de cada agente insalubre, verificando a melhor maneira deeliminar/ neutralizar ou controlar estes agentes sem que estes venham a ocasionar algum dano à saúde do trabalhador, à comunidade e ao maio ambiente.
Nossos trabalhos de Higiene Ocupacional são executados em duas etapas:
1 – Nas instalações das empresas onde os dados são levantados e/ou "quantificados" através de aparelhos específicos e devidamente calibrados, através de entrevistas juntos aosfuncionários dos diversos setores da empresa, fazendo uma análise "qualitativa" de possíveis agentes que possam ocasionar algum dano de imediato ou futuro à saúde ou integridade física do trabalhador e ao meio ambiente, proporcionando um ambiente saudável de trabalho, com metodologias aceitas cientificamente.
2 – Elaboração do "Relatório Técnico de Avaliação Ambiental” que apresentadetalhadamente as normas utilizadas, resultados quantificados, medidas de controle existentes e, por último conclusão e recomendações visando a eliminação e ou redução da exposição dos trabalhadores.
Considerando-se riscos ambientais
São os agentes: Físicos, Químicos,  Biológicos e Ergonômicos, presentes nos ambientes de trabalho capazes de produzir danos à saúde, quando superados quando superados osrespectivos limites de tolerância. Estes limites são fixados em razão da natureza, concentração ou intensidade do agente e tempo de exposição. Não podemos adotá-los como valores rígidos entre condição segura e  capaz de gerar alguma doença, devido à suscetibilidade individual, ou seja, para o higienista os valores devem ser encarados como valores referenciais.

HIGIENE OCUPACIONAL

1 ConceituaçãoGeral

Sobre a higiene ocupacional:

• Visa à prevenção da doença ocupacional por meio da antecipação, reconhecimento, avaliação e controle dos agentes ambientais (essa é a definição básica atual, havendo variantes; outras definições serão discutidas mais adiante);

• “Prevenção da doença” deve ser entendida com um sentido mais amplo, pois a ação deve estar dirigida à prevenção e ao controledas exposições inadequadas a agentes ambientais (um estágio anterior às alterações de saúde e à doença instalada);

• Em senso amplo, a atuação da higiene ocupacional prevê uma intervenção deliberada no ambiente de trabalho como forma de prevenção da doença. Sua ação no ambiente é complementada pela atuação da medicina ocupacional,cujo foco está predominantemente no indivíduo;

• Os agentesambientais que a higiene ocupacional tradicionalmente considera são os chamados agentes físicos, químicos e biológicos. Essa consideração pode ser ampliada, levando em conta outros fatores de estresse ocupacional, como aqueles considerados na ergonomia, por exemplo (que também podem causar desconforto e doenças). É evidente que as duas disciplinas se interligam e sua interação deve ser sinergética,antes que antagônica;

• Os agentes físicos são, em última análise, alguma forma de energia liberada pelas condições dos processos e equipamentos a que será exposto o trabalhador. Sua denominação habitual: ruído, vibrações, calor/frio (interações térmicas), radiações ionizantes e não ionizantes, pressões anormais;

• Os agentes químicos, mais por sua dimensão físico-química que por sua...
tracking img