Hidrologia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 24 (5896 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 6 de outubro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
HIDROLOGIA APLICADA
RESUMO DO PROGRAMA
1. Ciclo Hidrológico;
2. Bacia Hidrográfica;
3. Precipitação;
4. Infiltração;
5. Evaporação e transpiração;
6. Escoamento superficial;
7. Medições de vazão;
8. Previsão de enchentes;
9. Hidrograma unitário;
10. Regularização de vazões;
11. Propagação de enchentes.

1 - CICLO HIDROLÓGICO

Onde: P (Precipitação;
E ( Evaporação;
PC ( Percolação;
INF ( Infiltração;
DREN ( Drenagem.

BALANÇO HÍDRICO

Equação geral:

I ( Inflow (entradas de água);
O ( Outflow (saídas de água);
(S ( Variação no armazenamento no volume de controle (VC).
Exemplo: AQÜÍFEROS

I = Percolação + Escoamento subterrâneo
(solo) (rios e lagos)

O = Ascensão capilar + Escoamentosubterrâneo

(solo) (rios, lagos e oceanos)

2 - BACIA HIDROGRÁFICA

[pic]

É a área coletora de água de chuva que contribui para a seção de um curso de água,
identificada através de mapas, fotos aéreas, etc.

2.1 - VAZÃO ESPECÍFICA

Relação entre a vazão em uma seção do curso d’água e a área da bacia hidrográfica.
[pic]

2.2 - Coeficiente de flúvio:[pic] C ( adimensional

2.3 - TEMPO DE CONCENTRAÇÃO

tc ( intervalo de tempo contado a partir do início da precipitação para que toda a bacia passe a contribuir na seção em estudo.

2.4 - CLASSIFICAÇÃO DOS CURSOS DE ÁGUA

(1) PERENES
Sempre tem água ( o lençol subterrâneo mantém alimentação contínua.
(2) INTERMITENTES
Escoam durante a estação das chuvas, secam nas de estiagem.
(3)EFÊMEROS
Só transportam escoamento superficial.
EXEMPLOS:
Tipo (1) ( Rio Tibagi, Iguaçu, Paraná, etc.
Tipo (2) ( Vários rios do Nordeste do Brasil (agreste).
Tipo (3) ( Idem, e, canais superficiais.

2.5 - FORMA DA BACIA

Influi diretamente no tempo de concentração (tc)

2.5.1 - COEFICIENTE DE COMPACIDADE

Relação entre o perímetro da bacia e a circunferência de um círculo de área igual àda bacia:
[pic]
obs.: KC próximo de 1,0 ( mais sujeito a enchente

2.5.2 - FATOR DE FORMA

Relação entre a largura média e o comprimento da bacia
[pic]
L ( Comprimento do canal principal da cabeceira (divisor de águas) até seção de estudo
[pic]
Kf ( pequeno, indica bacia pouco sujeita a enchentes

2.6 - ORDEM DO CURSO D’ÁGUA

Segundo HORTON

1a.Ordem ( Correntes formadoras
2a.Ordem( União de dois canais de 1a.ordem (ou mais)
3a.Ordem ( União de dois canais de 2a.ordem
. .

. .
EXEMPLO: [pic]
Obs: Curso d’água de 4a.ordem

2.7 - DENSIDADE DE DRENAGEM [pic]

L ( Comprimento dos cursos d’água da bacia hidrográfica
A ( Área de drenagem
Valores de referência:

Dd ( 0,5 km/km2 ( drenagem pobre

Dd ( 3,5 km/km2 ( bemdrenada

2.8 - DECLIVIDADE DA BACIA

Controla a velocidade de escoamento influindo no tempo de concentração.

EXERCÍCIO 1 :
Traçar a curva de freqüência de declividade e determinar a declividade média de uma bacia hidrográfica com as seguintes características.

|Declividade (m/m) |Número de ocorrências |
|0,0000 – 0,0049|300 |
|0,0050 – 0,0099 |80 |
|0,0100 – 0,0149 |40 |
|0,0150 – 0,0199 |10 |
|0,0200 – 0,0249 |20|
|0,0250 – 0,0299 |2 |
|0,0300 – 0,0349 |3 |
|0,0350 – 0,0399 |8 |
|0,0400 – 0,0449 |15 |...
tracking img