Hepatites virais

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 20 (4752 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 27 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE DE VÁRZEA GRANDE
FACULDADE DE ENFERMAGEM

VANICLÉIA SOARES DE SOUSA OLIVEIRA

HEPATITES VIRAIS

VÁRZEA GRANDE-MT
2012
VANICLÉIA SOARES DE SOUSA OLIVEIRA

HEPATITES VIRAIS

Trabalho apresentado a Disciplina Cuidado Complexo Coletivo ao ser Humano Adulto, ministrada pela Professora  Priscilla dos Anjos Modes, para obtenção de parte da nota do 1º bimestre.

VÁRZEAGRANDE-MT
2012
SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO
2 HEPATITES VIRAIS
2.1 Hepatite A
2.2 Hepatite B
2.3 Hepatite C
2.4 Hepatite D
2.4.1 Infecção simultânea dos vírus D e B
2.4.2 Infecção pelo vírus D em portadores do vírus B
2.5 Hepatite E
2.6 Hepatites Virais Aguda
2.7 Hepatites Virais Crônicas
2.8 Cuidados de Enfermagem
2.9 Fluxogramas Laboratorais dasHepatites Virais
2.9.1 Fluxograma de investigação laboratorial de hepatite viral aguda
2.9.2 Fluxograma de investigação laboratorial de hepatite viral crônica
3 CONSIDERAÇÕES FINAIS
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

1 INTRODUÇÃO

As hepatites virais são doenças causadas por diferentes agentes etiológicos, de distribuição universal, que têm em comum o hepatotropismo. Possuem semelhançasdo ponto de vista clínico-laboratorial, mas apresentam importantes diferenças epidemiológicas e quanto à sua evolução.
Os últimos 50 anos foram de notáveis conquistas no que se refere à prevenção e ao controle das hepatites virais. Os mais significativos progressos foram a identificação dos agentes virais, o desenvolvimento de testes laboratoriais específicos, o rastreamento dos indivíduosinfectados e o surgimento de vacinas protetoras.
Existem seis tipos diferentes de vírus da hepatite (Hepatite A, Hepatite B, Hepatite C, Hepatite D, Hepatite E e Hepatite G). Os sintomas são pouco específicos, semelhantes aos de uma hepatite aguda, podendo, nas mulheres, causar alterações no ciclo menstrual. Esta hepatite, ao contrário da hepatite vírica, atinge sobretudo as mulheres, entre os 20 e os30 anos e entre os 40 e os 60, geralmente transforma-se numa doença crónica e evolui quase sempre, quando não é tratada, para a cirrose.
Cada uma destas patologias implica sempre uma consulta médica e um acompanhamento adequado. Embora haja ainda muito a estudar nesta área, a investigação científica tem percorrido um bom caminho na luta contra a doença, tendo já conseguido elaborar vacinascontra as hepatites A e B, (que permitiram reduzir consideravelmente a sua propagação) e descobrir substâncias (como os interferões) que podem travar a multiplicação do vírus e constituir uma esperança de prolongamento da vida para muitos doentes. Estes tratamentos, contudo, são dispendiosos e nem sempre estão disponíveis nos países em desenvolvimento, que são as zonas mais afectadas.
Os vírus dahepatite podem ser transmitidos através da água e de alimentos contaminados com matérias fecais (A e E), pelo contacto com sangue contaminado (B, C, D e G) e por via sexual (B, C e D). Os vírus têm períodos de incubação diferentes e, em muitos casos, os doentes não apresentam sintomas. As hepatites A e E não se tornam crónicas, enquanto a passagem à situação da cronicidade é bastante elevada nahepatite C e comum nas hepatites B, D e G, embora esta última doença não apresente muita gravidade.
2 HEPATITES VIRAIS

As hepatites virais são grave problema de saúde pública no brasil e no mundo, a hepatite é a inflamação do fígado. Pode ser causada por vírus, uso de alguns remédios, álcool e outras drogas, além de doenças autoimunes, metabólicas e genéticas. São doenças silenciosas que nem sempreapresentam sintomas, mas quando aparecem podem ser cansaço, febre, mal-estar, tontura, enjoou, vômitos, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras.
No Brasil, as hepatites virais mais comuns são as causadas pelos vírus a, b, c e d. existe, ainda, o vírus e, mais frequente na áfrica e na ásia. Milhões de pessoas no Brasil são portadoras dos vírus b ou c e não sabem....
tracking img