Henry mintzberg

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1591 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 10 de março de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Henry Mintzberg
Henry Mintzberg (2 de setembro de 1939) é um renomado acadêmico e autor de diversos livros na área de administração. Ele é Ph.D. pela MIT Sloan School of Management.
Atualmente professor na McGill University, no Quebec, Canadá, onde leciona desde 1968, após ter concluído seu Mestrado em Gerência no MIT.
É autor muito produtivo, escrevendo sobre estratégia de Gerência e deNegócios, com mais de 140 artigos publicados e treze livros no seu nome. Seu mais produtivo livro, “A Ascensão e a queda do Planejamento Estratégico”, critica algumas das práticas de hoje do planejamento estratégico, e é considerado leitura essencial para qualquer um que queira fazer parte do processo de tomada de decisões dentro de sua organização
Recentemente publicou um livro chamado Managers NotMBAs (traduzido com o título "MBA? Não, obrigado") onde esboça o que considera errado com a gerência hoje e, particularmente controvertido, escolhe como alvo prestigiosas e graduadas Instituições de Ensino em Administração e Negócios, tais como Harvard, Wharton e a Universidade da Pensilvânia como exemplos do que a obsessão por números e um excesso de zelo em fazer do gerenciamento uma Ciênciarealmente podem danificar a disciplina da gerência. Ele sugere também um novo programa de ensino, mirando em gerentes com prática (em oposição a jovens estudantes com pouca experiência do mundo real) e enfatizando que lições práticas pode ser muito mais apropriado.
Dentro dessa crítica, ele teve duas iniciativas fundamentais, criando primeiramente o renomado Programa alternativo aos MBAs tradicionais,International Masters in Practicing Management, onde os executivos têm foco na discussão e reflexão com base em suas próprias experiências e de seus colegas, sendo os Professores meros facilitadores do aprendizado(IMPM)[1]
A segunda iniciativa, fundamentada na metodologia inovadora do IMPM, é a criação da empresa focada em desenvolvimento organizacional, juntamente como Phil LeNir, chamadaCoachingOurselves International [2]. Empresa essa que tem como objetivo fornecer uma solução in-company, fundamentada nessa revolucionária ideia de desenvolvimento gerencial, aliando prática (a própria experiência dos gestores e de seus pares) e teoria gerencial, chancelada pelas principais autoridades do mundo de gestão. Mintzberg almeja de forma bastante ousada, conseguir paulatinamente "Mudar amaneira como se pratica Gestão".
Ironicamente, embora fosse um crítico sobre estratégias de consultores de negócios, ganhou duas vezes o prêmio McKinsey por ter a publicado o melhor artigo na revista “Harvard Business Review”.[3]
Mais recentemente, ele lançou o livro Managing: Desvendando o dia a dia da Gestão, pela Editora Bookman, no qual ele procuram desmistificar o gestor como alguém que é umplanejador sistemático, sem interrupções e que tem controle de tudo na organização, gerindo-a como uma orquestra sinfônica, de forma cadenciada e afinada. Assim, ele mostra que o gestor, na verdade, gerencia em três níveis: ação, informação e pessoas, sendo interrompido constantemente, numa dinâmica extremamente acelerada e pouco previsível.
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre./http://pt.wikipedia.org/wiki/Henry_Mintzberg

OPINIAO E NOTICIA
Série Gurus da Administração
Henry Mintzberg
Nascido em 1939, Mintzberg é um acadêmico canadense. Durante 40 anos foi professor da Universidade McGill, em Montreal, e pelo menos desde um artigo publicado na Harvard Business Review, em 1975, é tido como uma figura polêmica.
Naquele artigo, Mintzberg examinou o que um determinado número degestores de diferentes setores realmente faziam no dia-a-dia, e descobriu que eles não eram exatamente modelos de eficiência.
Em um estudo feito com gestores britânicos naquela época, Mintzberg concluiu que o trabalho de administração é fundamentalmente uma tarefa de processar informações. De acordo com Henry Mintzberg, para ser um bom gestor é preciso ser um bom ouvinte.
Em "Managers not MBAs",...
tracking img