Hemodialise

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 11 (2748 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 7 de novembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS

ESCOLA SUPERIOR DE CIÊNCIAS DA SAÚDE – ESA

EDUCAÇÃO EM SAÚDE

Educação em saúde, lixo doméstico e sociedade: uma questão de profilaxia e qualidade de vida dos moradores da área de palafitas da Nova Floresta, Manaus–AM.

PROFa . M. Sc Esmeralda Farias Cohen

MANAUS – AM

2010

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS

ESCOLA SUPERIOR DE CIÊNCIAS DASAÚDE – ESA

EDUCAÇÃO EM SAÚDE

EDUCAÇÃO EM SAÚDE, LIXO DOMÉSTICO E SOCIEDADE: UMA QUESTÃO DE PROFILAXIA E QUALIDADE DE VIDA DOS MORADORES DA ÁREA DE PALAFITAS DA NOVA FLORESTA, MANAUS–AM.

EQUIPE EXECUTORA

ANTONIO COIMBRA NETO

DENIMARA MIRANDA NEVES

ELISNEY SALVADOR TEIXEIRA

JÉSSICA DOS SANTOS PEREIRA

MAIARA VALENTE NOGUEIRA

MARCOS JAMISSON BANES TRINDADE

MARIBEL PEREIRACATIVO

ROBERTO MELO DE OLIVEIRA

SÍNGELA MARIA DE PAULA MONTEIRO

TONY FERREIRA VASCONCELOS

MANAUS – AM

2010

RESUMO

Esse trabalho visa compreender o que a comunidade Nova Floresta pensa, e como age a respeito do lixo doméstico e seu acondicionamento, possibilitando a elaboração de medidas educativas que proporcionem melhores condições higiênico-sanitárias.
Estudoprospectivo, transversal, de coorte em 100 casas da comunidade Nova Floresta preenchendo protocolo próprio, acerca da manipulação do lixo. Após o cadastramento e análise dos dados, iniciaram-se as ações educativas, dentre elas a coleta seletiva, reciclagem e a relação do lixo com as doenças, oficinas e filmes.
Das pessoas entrevistadas, 89% tem o seu lixo recolhido ao menos três vezes porsemana, sendo que 40% o acondiciona em sacos plásticos ou caixas de papelão. Cerca de 60% dos moradores entrevistados observam algum tipo de inseto em torno do seu lixo e 90% dos moradores reconhecem que o lixo pode estar vinculado com a transmissão de doenças. Mas 74% afirmaram nunca ter participado de alguma atividade educativa relacionada ao lixo. Aproximadamente 82% dos entrevistados souberamdizer o que era reciclagem, no entanto, apenas 45% sabiam dizer o que é coleta seletiva.
O estudo demonstrou que a população sabe a importância do armazenamento correto do lixo e que o lixo está relacionado a doenças, mas como a maioria referia nunca ter participado de atividade educativa e não sabiam o que é coleta seletiva; isso pode ser um dos fatores para que haja tanto lixo acumulado nasruas. As atividades desenvolvidas envolveram educação ambiental e educação em saúde, foram importantes para o esclarecimento sobre as formas de manipulação do lixo e prevenção de doenças.

Palavras chave: educação em saúde, meio ambiente, participação comunitária, lixo.
Título abreviado: Educação em saúde.

INTRODUÇÃO

Desde os tempos mais remotos até meados do século XVIII, o lixo eraproduzido em pequena quantidade e constituído essencialmente de sobras de alimentos. A partir da Revolução Industrial, as fábricas começaram a produzir objetos de consumo em larga escala, aumentando consideravelmente o volume e a diversidade de resíduos gerados nas áreas urbanas (MELO et. Al, 2007). Nos últimos anos, nota-se uma tendência mundial em reaproveitar cada vez mais os produtosdescartados para fabricação de novos objetos, através dos processos de reciclagem (MELO et. al, 2007).
O lixo constitui-se um problema social, econômico, sanitário e ambiental. Além disso, é um componente importante do perfil epidemiológico de uma comunidade, exercendo influência, ao lado de outros fatores, sobre a incidência de doenças (CATAPRETA, 1999). Do ponto de vista sanitário, não se podeafirmar que seja a causa direta, no entanto, está comprovado o seu papel na transmissão de doenças provocadas por macro e microrganismos que vivem ou são atraídos pelo lixo. As principais doenças relacionadas ao lixo doméstico, são: cisticercose, cólera, disenteria, febre tifoide, giardíase, leishmaniose, leptospirose, salmonelose e toxoplasmose (ABREU, 1990).
A influência do manejo...
tracking img