Habitos alimentares

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 12 (2899 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 4 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
HÁBITO ALIMENTAR Autora: Francine Allebrand I Centro Universitário UNIVATES, Graduação em Nutrição. Lajeado, RS. RESUMO O objetivo deste trabalho foi verificar os hábitos alimentares dos funcionários de uma empresa no município de Lajeado- RS. Para esta pesquisa foi elaborado um questionário com treze perguntas, abordando a frequência alimentar de frutas, verduras, água, cereais, leite, bebidasalcoólicas, frituras, carnes e conhecimento da pirâmide alimentar. De acordo com os resultados da pesquisa, considera-se importante que se enfatize desde a infância sobre um bom hábito alimentar e as escolhas que o individuo deve fazer, evitando assim possíveis doenças que possam vir a surgir na fase adulta por falta de uma boa alimentação. Palavras-Chave: hábitos alimentares, frequência alimentar.ABSTRACT The objective of this work was verify the food habits of employees in a company in city of Lajeado – RS. For this research was elaborate a questionary with thirteen questions, addressing what is the food frequency of fruits, greens, water, cereals, milk, alcoholic drinks, frying, meat and they knowing about food pyramid. According the results of research, it is considered important toemphasize since childhood about good eating habits and the choices they has to make, avoiding possible diseases that may arise in adulthood from lack of proper nutrition. Keywords: Food habits. Food frequency. INTRODUÇÃO No Brasil, assim como em outros países, o sobrepeso e a obesidade vêm crescendo aceleradamente. Paralelamente, a prevalência de doenças crônicas não-transmissíveis vem aumentando eentre as principais causas destas doenças está a alimentação inadequada. Sendo assim, os países economicamente desenvolvidos, bem como a maioria dos países em desenvolvimento, estão atualmente definindo estratégias para o

controle de doenças crônicas não-transmissíveis, sendo uma destas a promoção da alimentação saudável.¹ Alguns tipos de alimentos, se consumidos regularmente durante longosperíodos de tempo, parecem fornecer o tipo de ambiente que uma célula cancerosa necessita para crescer, se multiplicar e se disseminar. Esses alimentos devem ser evitados ou ingeridos com moderação. Neste grupo estão incluídos os alimentos ricos em gorduras, tais como carnes vermelhas, frituras, molhos com maionese, leite integral e derivados, bacon, presuntos, salsichas, lingüiças, mortadelas,dentre outros. 4 Tente adicionar menos sal na hora de fazer a comida, aumentando o uso de temperos como azeite, alho, cebola e salsa. A Organização Mundial da Saúde recomenda o consumo de até 5 g de sal ou 2 g de sódio por dia, ou seja, o equivalente a uma tampa de caneta cheia. Ao fritar, grelhar ou preparar carnes na brasa a temperaturas muito elevadas, podem ser criados compostos que aumentam orisco de câncer de estômago e coloretal. Por isso, métodos de cozimento que usam baixas temperaturas são escolhas mais saudáveis, como vapor, fervura, pochê, ensopado, guisado, cozido ou assado. 4 O perfil de consumo de alimentos que contêm fatores de proteção está abaixo do recomendado em diversas regiões do país. De acordo com uma pesquisa do Ministério da Saúde, que em 2010 entrevistou 54.367pessoas, o padrão alimentar no país mudou para pior. 4 Apesar de consumir mais frutas e verduras, o brasileiro continua a comer muita carne gordurosa (1 em cada 3 entrevistados) e tem optado por alimentos práticos, como comidas semiprontas, que são menos nutritivas. A ingestão de fibras também é baixa, onde se observa coincidentemente, uma significativa freqüência de câncer de cólon e reto. O feijão,alimento rico em ferro e fibras, que tradicionalmente fazia o famoso par com o arroz, perdeu espaço na mesa dos brasileiros. Para agravar o quadro, eles também tem se exercitado menos. Em 2006, 71,9% da população revelava comer o grão ao menos cinco vezes na semana. Em 2010, a média caiu para 65,8%. No estado do Rio, a média de consumo do feijão ainda é alta: 71,7%. A queda na média nacional...
tracking img