Guerra justa

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 4 (854 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 10 de fevereiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Guerra Justa

O estudo do tema guerra justa é de grande importância para sabermos quais os limites entre os Estados devem ser respeitados e o que é considerado um ultraje. Porém existemvários critérios e justificativas para se criar uma guerra considerada justa e esse conceito de “justo” deve ser trabalhado e explicado muito bem. A palavra guerra tem como definição no dicionário da LínguaPortuguesa: “Luta armada entre nações ou partidos; conflito”. Já a palavra justiça tem por definição “A faculdade de julgar segundo o direito e melhor consciência”.
O doutrina da guerra justatem como base fontes que variam do direito greco-romano a conceitos religiosos, que procuram conceituar em quais critérios uma guerra é realizada (Just in bello) e justificada (Just ad bello) de modoreto; tendo como base três princípios para servir de parâmetro em situações de conflitos emergentes:
1. Tirar a vida humana e um erro grave;
2. Os Estados têm dever de defender os seuscidadãos e a justiça;
3. Proteger a vida humana inocente e defender importantes valores morais às vezes exige uso da força e violência.


Vários filósofos já buscaram construir uma ‘ética daguerra’ para diferenciar os conflitos justos dos injustos.O primeiro a fazer essa reflexão foi Santo Agostinho(2000, pág.161) que estabeleceu essas cinco condições para uma guerra justa:
“ 1. A intençãodeverá ser sempre a de restabelecer a paz;
2. O objetivo deverá ser sempre a de restabelecer a justiça;
3. A guerra deve ser acompanhada de uma disposição interior de amor cristão entre aspartes;
4. A guerra só deve ser empreendida sob a autoridade de um soberano legítimo;
5. A conduta da guerra deve ser justa.”


Tomás de Aquino no livro “Suma Teológica” também trabalha comesse conceito e define três condições em que uma guerra justa deve ser feita por uma causa justa, que a guerra persiga a paz e a autoridade do Príncipe se faça na guerra. Cícero, filosofo, no...
tracking img