Guerra do Contestado

Páginas: 6 (1418 palavras) Publicado: 9 de julho de 2013

UNIVERSIDADE ALTO VALE DO RIO DO PEIXE-UNIARP
CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS








ATILIO PRANDO







HISTÓRIA DO CONTESTADO














CAÇADOR
2012



ATILIO PRANDO100 ANOS DO CONTESTADO, APARTIR DO MEU OLHAR.



Projeto apresentado como exigência para obtenção
de nota na disciplina História do Contestado do Curso
Ciências Contábeis ministrado pela Universidade AltoVale
Rio do Peixe, UNIARP, Caçador, sob orientação da
Professora Sonia de Fátima Gonçalves.
















CAÇADOR
2012
Passado 100anos, ainda temos muito o que aprender/ desvendar sobre o que realmente aconteceu naqueles 4 anos sangrentos em nossa região.
Procurarei expor sobre um trabalho feito por Walter Tenório Cavalcanti - Editora da UFSC – Florianópolis - SC, 1995.
Vindo a divergir em total ou parcial de muitos outros autores, mas nunca desprezando a importância de seus trabalhos para a história brasileira.
Estetrabalho será levado mais pelo lado religioso.




A referida guerra durou 4 anos entre 1.912 a 1916. Ganhou este nome por acontecer na região de disputa deste território pelos Estados de Santa Catarina e Paraná, compreendia a região do Oeste Catarinense, Meio Oeste e parte Planalto Serrano.

Alguns anos antes consta que passou por aquela região e outros Estadospróximos um monge de nome João Maria de Agostinho, o mesmo ficava sempre nas proximidades dos povoados, junto a algum rio ou sanga.
Na comunidade ele curava os doentes com ervas, benzimentos e orações. De maneira muito simplória dava bons conselhos aos que o procurava. Isso no final do século passado.

No ano de 1911, apareceu em Curitibanos um cidadão chamado Miguel Lucena Boa ventura, sendoele um cabo expulso da policia do Paraná. Dizia ele chamar-se José Maria e ser irmão do verdadeiro monge João Maria.

O trabalho dele era similar ao antecessor, tratava os doentes e rezava, ganhando confiança e admiração pela comunidade.

Em 1912 instalaram um reduto fora da vila de Curitibanos, local chamado de Taquaruçu, fizeram isto para poderem ficar mais perto do MongeJosé Maria. O povo ali presente não era apenas de pessoas humildes e sem-terra, pois havia junto pessoas de posses, comércio e alguns fazendeiros.
Demonstrando assim que não era um movimento desordeiro, mas sim um povo unido pela fé, religiosidade ou simplesmente fanatismo. O que eles procuravam ali era a salvação da alma.

As autoridades da época comunicaram ao Governador, o qualmandou um policiamento para dispersar o movimento. José Maria e seus fiéis ou simplesmente fanáticos para evitar algum confronto se retiraram para os campos de Irani. Lá a questão acabou ficando mais critica ainda, pois o Governo do Paraná, pensou que fosse um grupo de desordeiros querendo tomar posse daquelas terras, pois havia um embate judicial na questão da divisa. Na realidade aquelas terras jápertenciam por ordem judicial a Santa Catarina.

“Iniciava-se assim, em 22 de outubro, a campanha, a luta armada do contestado. O sangue fora derramado. Quando isto acontece, o ódio penetra no coração dos homens. O desejo de vingança exige mais sangue.
Vem das áreas primitivas ser o preço do sangue o próprio sangue. A cobrança é um dever a que não pode fugir o herdeiro do nome. O resgate...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • guerra do contestado
  • guerra do contestado
  • A guerra do contestado.
  • A guerra do contestado
  • guerra do contestado
  • Guerra do Contestado
  • Guerra do Contestado
  • GUERRA DO CONTESTADO

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!