Guerra das malvinas - ri

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2045 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 5 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Resumo

Segundo John J. Mearsheimer e sua teoria do Realismo Ofensivo, os Estados, principais atores do Sistema Internacional, objetivam sempre a maximização do seu poder mundial. Raramente as grandes potências estão satisfeitas com a distribuição de poder, o que leva a uma constante competição entre países usando inclusive da força para alterar a balança de poder a seu favor. Essa teoria podeexplicar a existência do fenômeno guerra. Em meio a esta competição natural ocorreu a guerra das Malvinas de 1982, onde a Argentina tentou, através do uso da força, reaver essas ilhas que estavam sob domínio britânico desde 1833.
O objeto de estudo deste trabalho é analisar a execução de tarefas e atividades logísticas dos exércitos argentinos e ingleses e analisar se a teoria do “poder paradordas águas” de Mearsheimer impactou no resultado da guerra.












Palavras-chave: Guerra das Malvinas; Realismo Ofensivo; John J. Mearsheimer; Poder parador das águas; Falkland Islands.





De acordo com a teoria do Realismo Ofensivo de Mearsheimer, o Sistema Internacional é anárquico e é ele que molda o comportamento dos atores. Os Estados são racionais e têmcomo objetivo primário a busca pela sobrevivência. (MEARSHEIMER, 2001, p.27). O poderio militar é a fonte principal de poder e só através deste, um Estado pode vir a se tornar uma hegemonia. A partir disto, os Estados com capacidade de se tornarem hegemônicos são os mais perigosos no Sistema Internacional pelo fato de possuírem um poder muito grande em relação aos outros atores. Suas ações edecisões acabam determinando o comportamento dos estados menores (MEARSHEIMER, 2001, p.22). Desta forma, a melhor maneira de um Estado garantir a sua segurança é se tornando uma hegemonia global e assim maximizar o seu poder.
Para o autor, existem duas formas de poder: o poder concreto e o poder potencial. O poder concreto é aquele que se manifesta nas forças terrestres, que são asúnicas que apresentam capacidade suficiente para tomar o controle de regiões ocupadas por forças rivais. O poder potencial está ligado à riqueza e ao tamanho da população de um país. O tamanho da população é um marco crucial, pois com esta, é possível a criação de um grande exército e este, é fundamental para as grandes potências. O tamanho da população também influencia na conquista de riquezas,pois através de uma grande população é possível a obtenção de grandes riquezas (MEARSHEIMER, 2001, p. 72-78).
Mearsheimer chama de “poder parador das águas” um fator que através de grandes massas de água, impede um país de se tornar uma hegemonia global, afinal, transportar forças através de grandes massas de água requer mais recursos do que levar forças para lutar em um territóriocontíguo. (MEARSHEIMER, 2001, p. 40-41). Desta maneira, adquirir este status no Sistema Internacional se torna um desafio, assim os Estados buscam meios estratégicos para se tornar uma hegemonia regional. O poder parador das águas não é um obstáculo na obtenção deste status, porém a balança de poder regional “toma o espaço” deste fator. A partir disto, os Estados vão agir para impedir que outrosestados se tornem hegemônicos regionais. (MEARSHEIMER, 2001, p.40). Mearsheimer apresenta então dois meios estratégicos principais para os Estados adquirirem poder: a guerra e a chantagem. A guerra é o meio principal para o aumento de poder, pois ela traz resultado de grande impacto e benéfico para o atacante mesmo que o custo de mantê-la seja alto.Já a Chantagem é um meio que quando bem executado traz resultados bastante significativos e de baixo custo. (MEARSHEIMER,2001,p.29).

A Guerra das Malvinas de 1982 exemplifica claramente essas teorias de Mearsheimer. No dia 2 de Abril do mesmo ano, as tropas argentinas invadiram as Ilhas Malvinas na chamada “Operação Rosário” (ANDERSON,2002, pg 7). A junta militar no...
tracking img