Grupos etnicos de angola

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas: 44 (10872 palavras)
  • Download(s): 0
  • Publicado: 30 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Línguas de Angola
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
O português é a língua oficial de Angola[nota 1], mas o país conta com quatro línguas africanas reconhecidas como línguas nacionais — o côkwe (pronuncia-se tchocué), o kikongo, o kimbundu e o umbundu[2] — e mais outras línguas africanas e inúmeros dialectos[nota 2].

|Índice|
|[esconder] |
|1 Os grupos étnicos e as suas línguas |
|2 Promoção das línguas nacionais |
|3 Situação do português |
|4 Notas |
|5 Referências|
|6 Ligações externas |


[editar] Os grupos étnicos e as suas línguas

[pic]
[pic]
Mapa étnico de Angola em 1970
As línguas originalmente faladas em Angola, como em qualquer país africano, são as dos povos africanos residentes na região. A implantação geográfica destes povos, hoje designados como etnias, no fim da era colonialdepreende-se do mapa constante desta página; apesar das vicissitudes das décadas pós-coloniais, esta distribuição espacial continua no essencial inalterada. Convém reter que, em termos globais, a esmagadora maioria dos angolanos – perto de 90% – é de origem bantu.
O principal grupo étnico bantu é o dos Ovimbundu que se concentra no centro-sul do país, ou seja, no Planalto Central e algumas áreasadjacentes, especialmente na faixa litoral a Oeste do Planalto Central. Os Ovimbundu constituem hoje um pouco mais da terceira parte da população, e a sua língua, o umbundu, é por conseguinte a segunda língua mais falada em Angola (a seguir ao português) com quatro milhões ou mais de falantes[nota 3]. Por causa da Guerra Civil Angolana, muitos Ovimbundu fugiram das zonas rurais para as grandescidades, não apenas para Benguela e Lobito, mas também para Luanda e até para cidades geograficamente periféricas como Lubango, transportando assim a sua língua para regiões onde esta antes não era falada.
Em termos de importância numérica, o segundo grupo são os Ambundu que representam cerca da quarta parte da população. A sua língua, o kimbundu, é falada por cerca de três milhões de falantes,maioritariamente na zona centro-norte, no eixo Luanda-Malanje e no Kwanza-Sul. O kimbundu é uma língua com grande relevância, por ser a língua tradicional da capital, hoje provavelmente com mais de 5 milhões de habitantes. O kimbundu legou muitas palavras à língua portuguesa e importou desta, também, muitos vocábulos.
No norte, nas províncias do (Uíge, do Zaire) e parte do Kwanza-Norte, concentra-se amaior parte dos Bakongo que representam hoje pouco mais de 10% da população. A sua língua kikongo (ou kikoongo) era a do antigo Reino do Kongo e tem diversos dialectos (tal como também as tem o umbundu e o kimbundu). Em consequência da guerra pela independência muitos Bakongo refugiaram-se na hoje República Democrática do Congo onde boa parte aprendeu também o francês e o lingala, língua decomunicação na parte ocidental daquele país. A maioria dos refugiados Bakongo, e/ou seus filhos e netos, regressou para Angola a seguir à independência, reinstalando-se em geral no seu habitat de origem, mas formando também núcleos populacionais importantes nas cidades situados fora desta área, principalmente em Luanda. Deste modo, também o kikongo, está hoje de algum modo presente em boa parte deAngola, com mais de um milhão de falantes.
Os Côkwe estão presentes numa boa parte do leste de Angola, desde a Lunda Norte ao Moxico e mesmo ao Bié. Enquanto mais a norte constituem, juntamente com os lunda, a população exclusiva, a sua presença mais a sul e cada vez mais dispersa e se mistura com a dos pequenos povos da região, habitualmente designados pelo termo Ganguela. A língua côkwe tem vindo a...
tracking img