Gravidez na adolescencia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 21 (5045 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 27 de abril de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
SUMÁRIO








1.INTRODUÇÃO 10
2.HIPÓTESES 12
2.1Os riscos da gravidez na adolescência 12
3.OBJETIVO 14 3.1.Objetivo Geral 14
3.2.Objetivo Especifico 14
4.PROBLEMATIZAÇÃO E JUSTIFICATIVA 23
5.METODOLOGIA 24
5.1 Tipo de Pesquisa 24
6.CRONOGRAMA 26
7.REFERÊNCIASBIBLIOGRÁFICAS 27
8.ANEXOS



















TEMA


GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA


PERFIL DE ADOLESCENTES GRAVIDAS OU QUE ENGRAVIDARAM NO PERIODO DE SUA ADOLESCENCENCIA COM IDADES ENTRE 14 E 20 ANOS.


DELIMITAÇÃO DO TEMA:


A adolescência corresponde ao período da vida entre os 10 e 19 anos, no qual ocorrem profundas mudanças, caracterizadas principalmente porcrescimento rápido, surgimento das características sexuais secundárias, conscientização da sexualidade, estruturação da personalidade, adaptação ambiental e integração social. A adolescente ao perceber que está grávida fica perplexa, sem saber ao certo como deve agir.
A adolescência caracteriza-se por ser um período de descoberta do mundo, dos grupos de amigos, de uma vida social mais ampla.Assim, a gravidez pode vir a interromper, na adolescente, esse processo de desenvolvimento próprio da idade, fazendo-a assumir responsabilidades e papéis de adulta antes da hora, já que dentro em pouco se verá obrigada a dedicar-se aos cuidados maternos.
O prejuízo é duplo: nem adolescente plena, nem adulta inteiramente capaz. A adolescência é também uma fase em que a personalidade da jovem está seformando e, por isso mesmo, é naturalmente instável. Hoje, os meninos e meninas entram na adolescência cada vez mais cedo. O início da ejaculação e da menstruação indica que eles estão começando a sua vida fértil, isto é, que chegaram àquela fase da vida em que são capazes de procriar.
Neste momento é que procurarei desenvolver meu trabalho.


PROBLEMATIZAÇÃO

Ao engravidar, a jovem tem deenfrentar, paralelamente, tanto os processos de transformação da adolescência como os da gestação. Isto, nesta fase, representa uma sobrecarga de esforços físicos e psicológicos tão grandes que para ser bem suportada necessitaria apoiar-se num claro desejo de tornar-se mãe. Porém, geralmente não é o que acontece: as jovens se assustam e angustiam-se ao constatar que lhes aconteceu algo imprevisto eindesejado. Só este fato torna necessário que seja alvo de cuidados materiais e médicos apropriados, de solidariedade humana e amparo afetivo especiais. A questão é que, na maioria dos casos, essas condições também não existem. Muitas vezes, a dificuldade de contar o fato para a família ou até mesmo constatar a gravidez faz com que as adolescentes iniciem tardiamente o pré-natal – o quepossibilita a ocorrência de complicações e aumento do risco de terem bebês prematuros e de baixo peso. Além disso, não é raro acontecer, em seqüência, uma segunda gravidez indesejada na jovem mãe. Daí a importância adicional do pré-natal como fonte segura de orientação.
Viver ao mesmo tempo a própria adolescência, cuidar da gestação e, mais tarde, do bebê, não é tarefa fácil. E a vida torna-se ainda maisdifícil para a adolescente grávida que estuda e trabalha. Igualmente, essa situação não difere com relação ao jovem adolescente que se torna pai: ele se vê envolvido na dupla tarefa de lidar com as transformações próprias da adolescência e as da paternidade, que requerem trabalho, estudo, educação do filho e cuidados com a esposa ou companheira.






1 INTRODUÇÃO


Há três anostrabalhando na Estratégia Saúde da Família (PSF), em uma região de alta vulnerabilidade social, localizada na zona sul de São Paulo. Este território tem como característica, adolescentes, em sua maioria, filhas de pais nordestinos, ou migrantes que vieram do Nordeste para São Paulo. Durante este período observei uma constante incidência de gestações na faixa etária que compreende dos 14 aos 20 anos...
tracking img