Gravidez na adolescencia o que falar?

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 3 (510 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 20 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Protocolo de Kyoto

Como o próprio nome já diz, o Protocolo foi assinado em kyoto (Japão), em 1997.
O documento estabelece aos países industrializados a redução das emissões de dióxido decarbono (CO2, gás carbônico) e outros gases do efeito estufa (gases que contribuem para o aquecimento global), ou seja, o protocolo impõe uma meta de redução desses gases naatmosfera.
Apenas as nações ricassão obrigadas a reduzir suas emissões, as outras (em desenvolvimento) como Brasil, China e Índia, embora sejam grandes poluentes, podem participar do acordo, mas não são obrigados a nada.
Isso nãosignifica que elas não devem se importar; pelo contrário, o mundo inteiro tem responsabilidade no combate ao aquecimento, mas a idéia é que os países que mais lançaram gases na atmosfera têm maiorobrigação de reduzir as emissões.
Aqueles que conseguirem um resultado satisfatório, receberão os chamados “Créditos de Carbono”, que valem dinheiro.
O Brasil embora não tenha muitos deveres noacordo, só sai ganhando com esse protocolo, pois qualquer projetoelaborado aqui com a finalidade de diminuir o efeito estufa pode se transformar em crédito de carbono. Se por acaso algum país rico nãoconseguir ou tiver dificuldade de atingir a meta, ele poderá comprar esse crédito do Brasil.
O álcool da cana-de-açúcar polui menos que os combustíveis fósseis (gasolina, diesel) e é um substituto doscombustíveis provenientes do petróleo (o Brasil é um grande produtor de álcool); além disso, nosso país possui grandes projetos de reflorestamento aumentando a quantidade de árvores que absorvem odióxido de carbono.
O documento conta com a participação de centenas de países; porém, infelizmente, o sucesso do acordo não é total, pois os Estados Unidos (maior emissor de gases estufa na atmosfera)recusa-se a assinar o documento, bem como alguns outros países, como a Austrália.
O presidente George W. Bush alega que não existem provas suficientes que liguem o aquecimento global à poluição...
tracking img