Governo lula x outros governos da nossa história

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1763 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 19 de maio de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
INTRODUÇÃO.
Fazer uma comparação do Governo Lula, com outros governantes de nosso historia e levar em consideração os aspectos econômicos, políticos e sociais similares, depende de muitas pesquisas e comparações, levando em consideração os avanços que o Pais teve nos últimos oito anos do Governo em questão. Acredito que quando falamos em comparativos econômicos, logo iremos perceber os avançosnas políticas sociais, educacional e na área da saúde. Assim portanto, se faz necessário levantar dados com clareza e transparência sobre o Governo do Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e de seus antecessores, levando-se em consideração que é interessante ouvir a opinião do cidadão comum em relação a um determinado governo, suas políticas publicas, sua forma de governar e sua aceitação perante aopinião publica.
Como sabemos existe duas formas de se avaliar um governo, seja da forma mais imediatista, na qual a pessoa se limita apenas a ver se sua vida melhorou durante esse período, sem se preocupar com os fundamentos econômicos que tal governo está deixando para o futuro. Os integrantes desse grupo tendem a olhar apenas para o comportamento da sua renda na vigência do governo emquestão, sem qualquer análise mais profunda sobre se tais efeitos foram artificiais e passageiros ou reais e duradouros. A segunda forma mais arguta e discernente, na qual a pessoa dá mais ênfase aos fundamentos econômicos que um governo está deixando para o outro, bem como quais eram os fundamentos que eles herdaram do governo antecessor. Os integrantes desse grupo tendem a possuir um conhecimento umpouco mais profundo de economia.
Como estamos falando em nossa historia, temos que voltar a alguns anos atrás e citar alguns exemplos de governos, tais como Juscelino Kubitschek e os generais Médici e Geisel, cujos governos trouxeram alguma melhora ao padrão de vida das pessoas, mas ao custo de anos seguintes de inflação e severo descontrole econômico, a historia conta que esses governadores tevemuito seguidores, visto que Juscelino Kubitschek, em seu governo fomentou a industrialização, principalmente do setor automotivo. Quem não se lembra de seu mega projeto, que foi a construção de Brasília, por meio da pura e simples impressão de dinheiro, legando uma economia desarrumada e com inflação ascendente (25% em 1960, 43% em 1961, 55% em 1962 e 81% em 1963), que levou à ascensão de umpopulista demagogo e o conseqüente o conhecido golpe militar, já retratado em tantos outros trabalhos.
Já os generais supracitados também não fizeram diferente com suas obras faraônicas, seus endividamentos externos, suas criações de dezenas de estatais e, obviamente, suas emissões de dinheiro, uma combinação que gerou a década perdida de 1980. Já no segundo grupo, os principais exemplos são osadmiradores do Marechal Castelo Branco, cujas reformas econômicas permitiram que a folia dos anos 1970 pudesse durar mais do que o normal, do sociólogo Fernando Henrique Cardoso e até mesmo de Fernando Collor, cuja abertura às importações inegavelmente trouxe sensíveis melhoras à economia brasileira, principalmente no setor automotivo.
Segundo dados obtido junto a enciclopédia livre que versa sobre ahistória Econômica do Brasil, “a história econômica do Brasil abrange vários eventos econômicos e traça as mudanças na economia brasileira ao longo da história do Brasil . Portugal , que primeiro colonizaram a região no século 16, reforçou um pacto colonial com o Brasil, uma imperial mercantil da política, que levou o desenvolvimento para os três séculos. A independência foi conseguida em 1822. Aescravidão foi abolida totalmente em 1889. transformações estruturais importantes começou na década de 1930, quando foram dados passos importantes para transformar o Brasil em uma economia moderna e industrializada.
A socioeconômico transformação ocorreu rapidamente após a Segunda Guerra Mundial . Na década de 1940, apenas 31,3% dos 41,2 milhões do Brasil habitantes residiam em cidades; em...
tracking img