Globalização do crime

Nova York, 18 jun (RV) - Os grupos criminosos que controlam os fluxos da emigração ilegal aos Estados Unidos lucram por ano US$ 6,6 bilhões, levandoao território americano quase 3 milhões latino-americanos.

Os dados estão contidos no relatório "A Globalização do Crime: uma avaliação da ameaçado crime organizado além das fronteiras", do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC). O documento foi publicado ontem.

Um dosaspectos investigados é o tráfico ilegal de pessoas, um negócio lucrativo para as organizações criminosas.

O crime organizado nas favelas brasileirasé destacado no estudo como exemplo de como esses grupos surgem em territórios onde o governo tem pouca presença. Outras organizações criminosas citadassão a máfia italiana e a Yakuza japonesa.

Nosso país é apontados também como um dos dez com maior número de armas em poder de civis: o textoaponta que o Brasil tem 15 milhões de armas de fogo com civis – praticamente uma arma para cada 12 habitantes. Juntamente com o México, o país ocupa asexta posição de ranking mundial que leva em conta o total de armas nas mãos de civis.

Na América, o Brasil surge em segundo lugar. A população maisarmada do mundo é a dos Estados Unidos, com 270 milhões de armas – praticamente uma para cada habitante. O total é 17 vezes maior que o verificado noBrasil. Em segundo lugar, vem a Índia (46 milhões de armas), seguida por China (40 milhões), Alemanha (25 milhões) e França (19 milhões).
(CM)
tracking img