Gestao desportiva

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 21 (5142 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 9 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Promoção de Instalações Desportivas

José Pedro Sarmento de Rebocho

Introdução

Ao abordarmos a problemática da gestão das instalações desportivas faz todo o sentido tentarmos encontrar um conceito base para definirmos instalação desportiva, o que se poderia estabelecer a partir de uma estrutura natural ou artificial previamente preparada para a garantir a sua utilização em termosdesportivos.
A evolução tecnológica e a crescente dimensão social do desporto tem vindo também a exigir uma cada vez maior qualidade destas estruturas. O decreto-lei n.º 317/97, veio introduzir uma nova classificação das estruturas desportivas:
a) de Base Recreativa, tosas aquelas que se destinam a actividades desportivas de carácter
b) informal no âmbito das práticas recreativas demanutenção e de lazer activo. Como exemplo podemos referenciar os pátios desportivos e todas as restantes instalações desportivas cobertas ou descobertas destinadas à animação desportiva informal.
c) de Base Formativa, concebidas para a educação desportiva de base, no âmbito do ensino e do associativismo desportivo. Neste caso ficam inseridas as salas de desporto, pequenos ginásios e polivalentesexteriores.
d) Especializadas, criadas e organizadas para actividades desportivas monodisciplinares do tipo pistas de atletismo, campos de ténis e quadras de squash.
e) e Especiais para o espectáculo desportivo, idealizadas para a realização de manifestações desportivas, preparadas para receber público, meios de comunicação social e apetrechadas com meios técnicos indispensáveis aos níveismais elevados da prestação desportiva
f) como estádios, piscinas e pavilhões multiusos.
Para além desta classificação mais centrada no tipo de actividade existe uma outra utilizada nos dois documentos nacionais de levantamento e caracterização das instalações nacionais, realizados nas décadas de oitenta e noventa pelo IND e que tem por base as modalidades desportivas neles desenvolvidas:← Grandes jogos
← Pequenos jogos
← Pavilhões
← Salas de desporto
← Pistas de atletismo
← Piscinas
← Especiais (para as mais diversas modalidades e actividades de apoio à prática desportiva)
O ordenamento territorial das instalações desportivas corresponde a uma das mais importantes preocupações dos gestores desportivos e dos políticos. Existe um conjunto deindicadores que podem ajudar na decisão, mas ainda estamos longe de encontrar um método que seja reconhecidamente aceite por todos os investigadores desta área.
O mais utilizado em termos europeus é o designado por área desportiva útil por habitante (M2/hab.) que apresenta uma grelha de cinco níveis, preconizando um nível designado de bom para valores entre os 4.00 M2/hab e os 7.99 M2/hab. Para alémdeste utilizam-se também a área e o raio de influência por instalação e o número de habitantes por instalações desportiva.
A planificação de novas instalações para além do respeito pelos indicadores anteriormente referidos depende de opções políticas e do conhecimento do mercado, quer no que respeita à tipologia das práticas desportivas, às tradições das populações em causa e os eventuaisprojectos de desenvolvimento em curso.
O dimensionamento deste tipo de instalações deve estar de acordo com o número e tipo de utilizadores, a frequência e o tipo de actividades a desenvolver. A determinação do local pode respeitar diversos interesses e estratégias privilegiando a proximidade das zonas residenciais, escolares, comercias, laborais, de lazer ou em complementaridade de outrosequipamentos sociais.
Os estudos de viabilidade económica são neste contexto elementos fundamentais para a decisão sobre a instalação em si mesmo, devendo analisar o impacto das modalidades escolhidas, o número de funcionários a afectar ao projecto, os custos previsíveis de construção e de manutenção e a previsão a médio e longo prazo das receitas.
Hoje cada vez mais a notoriedade que a...
tracking img