Gerenciamento de canteiro

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 27 (6566 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 26 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Gerenciamento de canteiro












[pic]
























Resumo:


CONTRIBUIÇÕES AO GERENCIAMENTO DE CANTEIRO DE OBRAS,
Trata da importância da análise do confronto de fatores gerenciais e produtivos observados nos
Canteiros de obras, que ainda empregam métodos de trabalhos da construção civil tradicionais em
Detrimento de outros,em que os métodos de trabalhos e de organização gerencial e produtiva têm
Incorporado as mais modernas técnicas, enfocando a rapidez, a economia, a qualidade e a
Segurança, juntamente com a empregabilidade do 5s (organização).


Colaboradores para o feito a organização no canteiro de obra.


Engenheiros
Mestres de obra
Encarregados
Operários setoriais


Onde várioprofissional tem acesso para trabalhar, desempenhando sua função.
Segurança do trabalho esta ligada diretamente com a organização do canteiro de obra, onde cada material seja ele de uso diário ou estocagem sejam devidamente colocados em um devido local de fácil acesso.
Trata da importância da análise do confronto de fatores gerenciais e produtivos observados nos canteiros de obras, que aindaempregam métodos de trabalhos da construção civil tradicionais em detrimento de outros, em que os métodos de trabalhos e de organização gerencial e produtiva têm incorporado as
Mais modernas técnicas, enfocando a rapidez, a economia, a qualidade e a segurança.


INTRODUÇÃO


O setor de Construção Civil, tradicionalmente, tem praticado a sua tecnologia baseado no empregointenso de mão-de-obra não qualificada. Tanto a fase de elaboração, que envolve confecção de projetos e de orçamentos, como a fase de produção física, vem desenvolvendo-se com ênfase no baixo custo, decorrente da referida mão-de-obra desqualificada. Esse procedimento vem sendo justificado pelo argumento da geração de empregos, supondo que a modernização reduziria o seu nível. Entretanto, essaBaixa qualificação promove a informatização do trabalho na forma de subempregos, como também degrada os níveis salariais.
Esse tipo de mão-de-obra despreparada dificulta a introdução de tecnologias avançadas, em que se possa ter qualidade, produtividade e menores custos de desperdício e retrabalho. Por outro lado, a premissa atual do mercado, impondo qualidade, obras com diversos executantesespecializados, na forma de parcerias ou consórcios, estabelece outras propostas de trabalho que exigem pessoal de maior qualificação técnica, capaz de conduzir trabalhos em equipe, impor lideranças, entender amplitude de procedimentos etc. Os padrões tradicionais, baseados em baixos níveis tecnológicos, evidenciam que esta tecnologia antiga não é mais adequada e que proporciona operários semqualificação, além de arquitetos e engenheiros com um saber aquém das exigências atuais.


O tão discutido desperdício de materiais e de mão-de-obra, e objeto de tantos estudos apresentados por Agopyan (1998), pode representar perdas de 25 a 30% do custo da obra.
Desde a década de 90 as construtoras buscam um modelo de indústria seriado em seus canteiros de obras (CARDOSO, 1997). Aquestão é que esse acesso a novas tecnologias é restrito para poucas, pois o investimento é alto e exige elevados níveis de produção.
Comumente, percebe-se que os programas de qualidade, projetos e cadernos de encargos das empresas em geral só contemplam o produto acabado, e não o processo executivo dentro do canteiro. Em última análise, podem-se identificar como principais problemas: faltade planejamento de médio e curto prazo; carência de equipamentos; falta de definições de espaços adequados à armazenagem de diferentes insumos e, consequentemente, sua deficiência com o transporte e, finalmente, falta de parcerias com os fornecedores. É imprescindível que haja, por parte da empresa, um movimento. De constante planejamento, conforme o ritmo alcançado.
A organização de...
tracking img