Geraldo r caravantes

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1284 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 19 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
13/03/2013

Técnicas de Negociação
Aula 4

O Envolvimento de uma Terceira Parte no Conflito
Profa. Ma. Karem Grubert Rojas

1

Objetivos
• Compreender a terceira parte envolvida no conflito. • Refletir sobre a importância da mediação e da arbitragem.

2

Antropólogo americano, especialista em técnicas de negociação.

3

1

13/03/2013

Entrevista: William Ury - O InfernoSomos Nós
• Willian Ury – Em um conflito como o que envolve israelenses e palestinos, por exemplo, a terceira parte pode ser tanto a comunidade internacional como grupos poderosos que integram esses povos. • O conceito da terceira parte é o mais antigo das heranças humanas em resolução de conflitos.
4

• Consiste basicamente em reunir toda a tribo e fazer com que as pessoas se ouçam e seentendam. Essa é uma das funções da ONU.
(Fonte: Revista Veja - Edição n. 1971, 30/08/2006)

5

Envolvimento de uma Terceira Parte no Conflito
Quando há a perda de confiança entre as duas partes envolvidas, pode ser chamada uma terceira parte para diminuir os possíveis prejuízos.

6

2

13/03/2013

Envolvendo uma Terceira Parte no
Conflito
Formas de envolvimento de uma terceira parte nasolução do conflito:
Nível de controle da terceira parte sobre o resultado:
ALTO BAIXO

Nível de ALTO controle da terceira parte sobre BAIXO o processo

Inquisição Arbitragem

Mediação Negociação

Fonte: Lewicki (1994, p. 352)
7

Envolvendo uma Terceira Parte no Conflito
• Na negociação, as partes mantêm controle tanto do processo como do resultado. • Na inquisição, é retirada toda ainfluência das partes.

8

Envolvendo uma Terceira Parte no Conflito
• A mediação e a arbitragem são processos intermediários.

9

3

13/03/2013

Conceituando
• A mediação pode ser definida como uma técnica de resolução de conflitos, não adversarial, que, sem imposições de sentenças ou laudos e com um profissional devidamente formado, auxilia as partes a acharem seus verdadeirosinteresses e a preservá-los em um acordo criativo, em que as duas partes ganham.

10

Conceituando
• É uma forma de negociação facilitada, com a presença de um ou mais terceiros imparciais auxiliando as partes envolvidas na busca do acordo. • É um procedimento flexível, rápido, econômico e sigiloso. • Cabe às partes o controle do processo e do resultado (GOBBI apud MARTINELLI, 2009, p. 197).11

Conceituando
• Consiste na tentativa das partes de resolver o conflito com o auxílio de uma terceira parte, neutra e imparcial. Esse terceiro deverá apresentar sugestões às partes, que possuem o poder de decisão e de solução do impasse.

12

4

13/03/2013

Silva (2001) reforça a ideia de não existir procedimento determinado, bem como de se tratar de um processo privado econfidencial.
Fonte: SILVA, A. B. Caracterização do administrador na era da informação e do conhecimento. Revista Brasileira de Administra Revista Brasileira de Administração, Ano XI, n. 32,p. 6-14, mar. 2001.

13

O Processo de Mediação
• • • • • Escolha do mediador. O mediador estabelece as regras do processo. Identificação de interesses, prioridades, desejos. Alternativas de solução. Acordo (soluçãocolaborativa).

14

• Mediação utilizada como método extrajudicial de solução de conflitos. • Mediação como uma forma de negociação facilitada, com a presença de um ou mais terceiros imparciais que auxiliam as partes envolvidas na busca do acordo.

15

5

13/03/2013

• O papel do mediador (um terceiro imparcial): aproximar as partes, apontar o ponto de divergência e sugerir opções desolução. • A visão da mediação, de acordo com o Conselho Nacional das Instituições de Mediação e Arbitragem (Conima). • A mediação recomendada, principalmente, em situações que envolvem diversos vínculos entre as mesmas partes.
16

Estrutura do Processo de Mediação
Requerimento A parte interessada apresenta requerimento à CAE.

Pré-mediação Entrevistas com as partes:  Com o requerente –...
tracking img