geologia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2250 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 1 de dezembro de 2014
Ler documento completo
Amostra do texto
2. Caracterização Geológica da Área:
2.1. Localização da área visitada:
O Quadrilátero Ferrífero (QF) localiza-se na porção centro-sudeste do Estado de Minas Gerais, na Messorregião Metropolitana de Belo Horizonte, Microrregião de Ouro Preto (Ouro Preto e Mariana) e Microrregião de Sete Lagoas (Sete Lagoas e Cordisburgo) e encontra-se na seguinte delimitação no mapa com as coordenadas 19º45’ a20º30`S e 44º30’ a 43º07`W, ocupando uma área aproximada de 7.000Km², O acesso à região pode ser feito, preferencialmente, pelas rodovias federais BR 381, BR 040 e BR 356, e pelas rodovias estaduais MG 129, MG 030, MG 436, MG 262, MG 05. Segundo Dorr (1969), a região tem essa denominação criada por Alberto de Campos devido aos Depósitos ferríferos (minérios de ferro) que ocorrem numa área que temcomo vértices a cidade de Itabira, a nordeste, Mariana a sudeste, Congonhas, a sudoeste e Itaúna, a noroeste, envolvendo, além da capital do Estado, várias cidades originárias da atividade minerária, entre elas, Nova Lima, Sabará, Santa Bárbara, Itabirito e Ouro Preto.
2.2. Aspectos físicos da área:
O QF corresponde a um bloco de estruturas do pré-cambriano, elevadas em seus quadro lados porerosão diferencial. Assim quartzitos e Itabiritos formam cristas nas altitudes de 1300 a 1600 metros, que correspondem ao Alinhamento da Serra do Curral, ao norte, da Serra de Ouro Branco, ao sul, da Serra da Moeda, a oeste e, a oeste, do conjunto formado pela Serra do Caraça e a Ponta da Serra do Espinhaço.
2.1. Relevo
O relevo do QF apresenta-se como uma superfície topograficamente elevada,contrastando com as terras baixas e as colinas dos complexos metamórficos adjacentes, onde as altitudes, comumente, são inferiores a 900 metros. Em suma, a região corresponde a uma superfície planáltica, onde a morfologia varia de suaves colinas nas áreas associadas às formações graníticas e gnáissicas, a trechos bastante acidentados, onde predominam cristas com vertentes ravinadas e valesencaixados, associados aos afloramentos de quartzitos, itabiritos e da canga ferruginosa (HERZ, 1978).As altitudes médias giram em torno de 1000 metros, onde as cotas mais elevadas estão situadas na Serra do Caraça, a leste, alcançando níveis superiores a 2000 metros, e as mais baixas a noroeste de Ouro Preto, nos arredores do distrito de Amarantina, e no município de Sabará, onde as cotas chegam a alcançar600 metros. Em geral, as altitudes maiores aparecem nas serras que demarcam os limites da região.No QF, o controle litológico sobre a morfologia é marcante, sendo formado relevos do tipo sinclinais suspensos, anticlinais esvaziados e de cristas do tipo hogback (SOUZA et al., 2005). Além do controle litológico, as formas do relevo atual, também resultam da erosão diferencial (SALGADO, 2006), quese manifesta pelos grandes arcabouços estruturais, como sinclinais e anticlinais, alicerçados pelos quartzitos e itabiritos do Supergrupo Minas e do Grupo Itacolomi, e pelas superfícies rebaixadas dos complexos metamórficos (BARBOSA & RODRIGUES, 1967).Desta forma, o QF aparece como um conjunto de feições geomorfológicas resultantes de diferentes condições litoestruturais (BARBOSA & RODRIGUES,1967), sendo as diferenças de declividade das vertentes e de altimetria relacionadas às variações litológicas (VARAJÃO, 1988). Segundo Varajão (1988), as diferenças entre os vários níveis altimétricos que aparecem comumente no Quadrilátero Ferrífero, representam o testemunho de antigas superfícies de aplainamento que ocorreram na Plataforma Sulamericana. Em suma, o relevo da região se dividebasicamente em dois tipos: linhas e cristas
de cumeadas, constituindo modelados de dissecação diferencial, isolados em meio a modelados de dissecação homogênea (SALGADO, 2006). Os primeiros são distintos pela sua altimetria elevada, assim como pela continuidade e extensão da forma, geralmente, estão associados a processos estruturais de elaboração do relevo, tais como: as falhas normais e de empurrão e...
tracking img