Geografia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 16 (3998 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 18 de dezembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
-------------------------------------------------
Colégio Pedro II – C.s.c. III
-------------------------------------------------
TExto para trabalho EM DUPLA DE geografia – 3ª Série do E.M. -3ª.cert. (PI) /2012
-------------------------------------------------
Coordenadora: ProfA. margarida ambrogi da Silva Cunha
REDE DE TRANSPORTES

Rodovias

Rodovias radiaisRodovias Latitudinais

Rodovias Transversais Rodovias Diagonais

A preocupação em interligar as várias regiões do Brasil por meio de rodovias começou na década de 1920 e tomou impulso na década de 1940, com a construção de grandes rodovias, como a Via Anchieta, que liga São Paulo a Santos; a rodovia Presidente Dutra, que une Rio eSão Paulo; e a Fernão Dias, que liga São Paulo a Belo Horizonte.
A partir da década de 1950, atendendo aos interesses da indústria automotiva que se instalava no país, ocorreu uma verdadeira revolução na expansão das rodovias, quando o sistema rodoviário federal foi estruturado, prevalecendo até os dias atuais. A mais densa rede rodoviária encontra-se na região Centro-Sul. Nos últimos anos, muitasrodovias estaduais e federais também passaram por um processo de concessão à iniciativa privada, situação que vem se ampliando. Apesar de esses contatos favorecerem a melhoria de alguns serviços, a maior polêmica está no aumento do número de pedágios, que obrigam os usuários a pagar altas taxas para poder circular.
Nos últimos quatro anos, no Estado de São Paulo, as viagens para o interior eoutros estados que se utilizam de rodovias estaduais e federais teve um aumento do custo para os usuários em torno de 45%. De um lado, essa expansão rodoviária facilitou o acesso a muitas regiões do país, mas de outro tornou nossa economia muito mais dependente do petróleo e derivados. Outra dificuldade é a precária conservação das estradas em função de seu alto custo.
Apesar do alto custo e dasdeficiências das estradas, é o principal meio de transporte do país. Em 1969 havia 22.014 km de estradas asfaltadas e em 2009, 61.807km (cerca de 10% do total). De acordo com a 4ª Pesquisa Rodoviária Nacional, realizada pela CNT em 1999, o estado geral de conservação, pavimentação e sinalização das rodovias federais foi considerado deficiente em 72,8% da área analisada. Além disso, as rodoviasapresentam falhas estruturais, como o predomínio de pistas simples em regiões de topografia acidentada.
Outro grande problema das rodovias brasileiras tem sido o roubo de cargas (US$ 32 milhões anuais, em média, segundo a ANTT). As cargas mais visadas são pela ordem: produtos têxteis e confecções (15,7%), alimentícios (12%), eletroeletrônicos (10,6%) e de higiene e limpeza (7,1%). Cerca de 97,2% detoda carga roubada no país, concentra-se no Rio de Janeiro (63,6%) e São Paulo (33,6%), principalmente nas rodovias Presidente Dutra, Régis Bittencourt, Fernão Dias e Transbrasiliana.
A frota nacional de veículos é superior a 33 milhões de veículos (2001). A maioria dos veículos tem mais de 14 anos de uso (52,5%), a média dos ônibus é de 12,5 anos e dos caminhões é de 13,8 anos. A cidade brasileiracom o maior número bruto de veículos, é São Paulo (quase 9 milhões), entretanto a maior média per capita é da capital federal, Brasília.
O transporte urbano é inadequado em quase todas as cidades brasileiras, havendo uma verdadeira "guerra" com as vans e outros veículos que fazem o chamado transporte informal, concorrendo com o transporte público e o privado.

Ferrovias

As primeirasestradas de ferro em território nacional foram construídas no estado do Rio de Janeiro, na década de 1850, quando foi inaugurado um trecho que ligava a cidade do Rio de Janeiro a Petrópolis e outro trecho (a estrada de ferro D. Pedro II) que ligava a então capital do país a Queimados (RJ). No entanto, o sistema de transporte ferroviário no Brasil nunca chegou a formar uma rede que integrasse o...
tracking img