Geografia, uma disciplina viabilizadora da cidadania

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 13 (3102 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 26 de setembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
GEOGRAFIA, UMA DISCIPLINA VIABILIZADORA DA CIDADANIA

Luiz Carlos Fernandes[1]


Resumo: A pesquisa, que origina e objetiva a construção desse artigo, foi realizada no Instituto de Educação Rangel Pestana, Cidade de Nova Iguaçu, Rio de Janeiro, teve como objetivo levantar dados referentes ao significado e importância da disciplina Geografia para os futuros professores do primeiro segmento doEnsino Fundamental. Da pesquisa, levantaram-se dados teóricos de Fundamentos da Educação que norteiam não só a Educação e da escola, bem como fundamenta as mais variadas práticas pedagógicas vigentes em sala de aula com suas funções transformadoras ou reprodutoras do Sistema hegemônico vigente, como coube também considerações teóricas para se apontar outra práxis para o papel social do professor,em especial na disciplina de Geografia pós todas as transformações sofridas pelo planeta que deveria obrigá-lo a uma nova leitura, interpretação e visão do Espaço Geográfico. Para isso, foram aplicados questionários, tendo como público alvo, os alunos do 4º ano Ensino Médio Modalidade Normal.

Palavras-chave: visão de mundo, educação, escola, professor, ideologia, ciência geográfica, geografiaescolar, espaço geográfico.



INTRODUÇÃO

Karl Marx, apud Arruda Aranha (1996), expressa que a história da humanidade é a história das lutas de classes. Entender esse posicionamento, essa visão de mundo e de homem, em minha opinião já é por si só uma tomada de posição frente a humanidade.
Muito me preocupa, desde o início de minha práxis docente, até os dias de hoje, asdificuldades, as resistências dos professores, alunos e pais destes em repensar a escola, desmistificando-a em sua função de ensinar, de transmitir e de preparar as futuras gerações para o mercado de trabalho, para atender ao sistema capitalista de produção e para a hegemonia dominante.


DESENVOLVIMENTO


Ao escrever esse artigo tendo como enfoque o ensino da Geografia como uma possibilidadeà construção de um sujeito crítico consciente, feliz e comprometido com a cidadania, me vejo, na necessidade de apontar a educação formal, que vive uma crise, para mim histórica, que talvez date, e data, pelo menos em nosso país, do início da nossa colonização com a chegada dos Jesuítas, "preocupados" em "catolicizar" e "civilizar" os índios (Aranha, 1996); passando mais tarde por Pombal e oensino para os filhos dos dominantes econômicos, até as reformas escolanovistas, tecnicistas e as atuais “tendências” críticas ou neoliberais.
Nas últimas quatro décadas pelo menos, a crise se aprofunda, é mais brutal e não menos dolorosa tanto para os que geram e gerenciam a educação, quanto para os que dela tentam fazer uso para ascender e/ou manter-se na escala sócio profissional.Para entender melhor essa crise, faz-se necessário situar o Homem no espaço geográfico e no tempo histórico, com duas visões básicas e bem distintas sobre ele, sobre a educação e a escola.
A visão tradicional, metafísica, essencialista, que imperou e por vezes ainda impera na visão do Homem (Aranha, 1996), percebe e propõe o Homem como um ser pronto, acabado ou que poderá vir a ser, já quepossuidor de uma essência em si mesmo. A perceber o Homem dessa forma, o espaço geográfico também seria algo inalterado, nada antrópico, ou seja, seria apenas um espaço físico.[2]
O Homem teria uma essência e as teorias pedagógicas formularam suas bases para levar o indivíduo a realizar suas potencialidades naturais, levar a criança a alcançar um modelo de Homem "Universal", atualizando aessência que ela possui em potência (Aranha, 1996).
Kant (séc.XVIII), afirmou que: ¨o fim da Educação é o de desenvolver no indivíduo, toda a perfeição de que ele seja capaz¨ (Kant apud Aranha, 1996). Nessa visão de mundo/Homem fundou-se toda a filosofia educacional e os pressupostos da educação até próximo aos nossos dias.
Há nessa visão uma tentativa ingênua e ideológica, de refutar...
tracking img