Genetica

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1586 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 10 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
1-Snowblind- Black Sabbath
http://www.youtube.com/watch?v=qHal84S_XkI
Abro lentamente os olhos, não mais me encontro em meu quarto, a cama, a mesa e o armário foram substituídos por um longo campo nevado. Notável era a ausência de qualquer coisa ali, fora a neve,o vazio horizonte acinzentado beirava o infinito e o frio tomava conta de mim.
Ao andar por certo tempo pude reparar que o tombranco da neve em muito incomodava meus olhos, logo reparei que isso deveria ser pelo sol forte, que a neve refletia, porém ao olhar para o céu só vejo tons escuros. Caminhei por mais uns trinta minutos, e era só isso que eu via, preto do céu, cinza do horizonte, branco da neve.
O frio ficava cada vez mais intenso, e eu podia ver os flocos de neve caindo, no que a essa altura não mais era umamassa de neve brilhante, e sim uma mistura acinzentada, o Sol devia estar se pondo.
Eu podia sentir os flocos de neve me congelando, estava perdendo a paciência e começando a ficar nervoso, a tremer de frio, pude ver minha mão tremendo e para a minha surpresa, ela estava cinza. Agora eu tinha certeza de que apesar de enxergar , eu estava ficando, de alguma forma cego aos poucos.
Foi o bastantepara me assustar, eu agora corria na neve, quando de repente:
-Paff!-
Caio no chão com uma forte dor de cabeça, eu havia batido de frente em uma porta, também cinza. Apesar de saber que ela não estava ali antes, o que quer que estivesse ali não deveria ser pior que o gelado da solidão nos campos nevados, eu pensei.
Ao colocar a mão na maçaneta senti um estranho calafrio. Ignorei-o por completoabri a porta o mais rápido possível, só queria sair daquele lugar estranho, queria voltar pro meu quarto.

2-Sweet Dreams –Roy Buchanan
http://www.youtube.com/watch?v=swX9oq6TVAU

Após passar pela porta tive a ligeira impressão de ter escapado de tudo aquilo, fui parar no que parecia ser um quarto, provavelmente de criança, nele haviam apenas uma cama bagunçada, um armário decorado compôsteres, uma televisão e uma caixa de brinquedos. Após a decepção de não ter voltado para o meu quarto decidi investigar melhor o ambiente. Os pôsteres eram de músicos de blues, que por acaso eu conhecia, não pude deixar de pensar que era um estranho gosto musical para uma criança.
Apesar do clima agradável, o quarto não tinha janelas, e nenhuma outra saída, fora a porta de onde eu vim. O quarto mepassava uma sensação de segurança, porém sair dali por aquela porta seria inevitável, eu teria que voltar até os campos de neve.
Assim que minha mão tocou a maçaneta, pude ouvir uma melodia, era triste, porém doce, quase como um lamento. Ao abrir a porta, não vejo os campos de neve, ignorando toda lógica vejo o resto da casa, decorada em tons de azul. O lugar tinha mais dois quartos, trancados,um banheiro e uma sala no primeiro andar. A música se tornava mais alta,tomei coragem e desci as escadas rumo ao primeiro andar.Pude ver da onde vinha a música, um rádio ligado quase no máximo tocava a canção.
Em frente a ele havia um sofá, e sentado nele, um garotinho. Ao me aproximar pude ver que era loiro e tinha olhos azuis que combinavam com os tons da casa, ele estava chorando e à medidaque a música se tornava caótica ele chorava mais alto.
Não sei o que deu em mim, mas naquele momento eu estava tomado por uma súbita pena, e num ato de compaixão fui tentar consolar o garoto. Ledo engano o meu, assim que foi tocado o menino pulou em susto, atirou-me para trás,e sumiu, pude reparar os tons de azul, que antes eram claros, se tornando escurecidos, à medida que o volume da músicaaumentava e se tornava ensurdecedora.
Ao levantar, reparei que a casa devia estar vazia há anos, estava imunda, ao tentar desligar o rádio tive uma desagradável surpresa, a música não estava vindo dele, nem poderia, ele estava desligado. A sensação de que havia algo muito errado acontecendo, a este momento, já havia se tornado minha principal companheira, não munido de coragem, porém de falta...
tracking img