Gavidez abdominal

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 13 (3135 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 5 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
RBGO 21 (10): 611-615, 1999

Relato de Caso

Gravidez Abdominal a Termo com Feto Vivo: Relato de Caso
Abdominal Pregnancy at Term with Live Fetus: A Case Report
Luiz Carlos Santos, Melania Maria Ramos de Amorim, Edmar Miranda, Gisela de Oliveira Saunders, Elizabete de Oliveira, Jonyplácido Gattás

RESUMO
Gestação abdominal a termo com feto vivo representa uma raridade obstétrica quecursa com elevada morbimortalidade materna e perinatal. Neste estudo, os autores apresentam um caso de gestação abdominal em uma paciente de 43 anos, em quem o diagnóstico só foi realizado a termo (com 37 semanas), pelos achados clínicos e ecográficos. Realizou-se laparotomia exploradora com extração de recém-nascido vivo do sexo feminino, pesando 2.570 gramas. Os escores de Apgar foram de 3, 6 e 8 no1º, 5º e 10º minutos, respectivamente. A placenta se encontrava inserida no omento e foi removida sem complicações. A evolução operatória foi satisfatória e tanto a mãe como a criança obtiveram alta em boas condições. PALAVRAS-CHAVE: Gravidez ectópica. Gravidez abdominal. Complicações da gravidez. Crescimento fetal retardado.

Introdução
A gestação abdominal constitui um evento extremamenteraro em Obstetrícia; sua incidência varia de 1 para 10.000 a 1 para 64.000 nascimentos1,2, sendo mais freqüente nos países subdesenvolvidos ou em desenvolvimento3,4,5. Em 1987, Atrash et al.6 descreveram uma incidência de 10,9 por 100.000 nascidos vivos nos Estados Unidos, equivalente a 9,2 para 1.000 gestações ectópicas. Na maioria desses casos verifica-se o decesso fetal, em decorrência dainsuficiência placentária, por conta da má implantação do trofoblasto2,5. São ainda comuns as deformidades de membros e face do concepto, bem como a hipoplasia pulmonar, conseqüentes à compressão pelas estruturas abdominais 2,7 . A morbimortalidade materna é elevada1,5,6,8, sendo freqüentes complicações cataclísmicas, como a hemorragia do leito placentário2. Mais freqüente, todavia, é a
InstitutoMaterno-Infantil de Pernambuco (IMIP) - Centro de Atenção à Mulher (CAM) Correspondência: Melania Maria Ramos de Amorim IMIP - Coordenação de Ensino Rua dos Coelhos, 300 - Boa Vista 50070-550 - Recife - PE e-mail: melania@interway.com.br

dificuldade de extração placentária, por conta de sua implantação em vísceras nobres, como o fígado, não sendo incomum a decisão do tocólogo de deixar a placenta insitu, no intuito de evitar o sangramento profuso e a lesão das estruturas abdominais2,9. A gestação abdominal a termo com feto vivo apresenta outrossim maior raridade, sendo descritos apenas casos esporádicos na literatura. A sobrevivência neonatal é de cerca de 20% nas maiores séries publicadas1,2,8. Em nosso meio, a maior experiência com gestação abdominal foi descrita por Costa et al. (Recife,PE)10,11,12, porém em poucas ocasiões encontrou-se concepto vivo com condições de sobrevivência neonatal10,12. Em 1992, Alencar et al.13 descreveram um caso de gestação abdominal avançada com recém-nascido vivo, na Maternidade-Escola Assis Chateuabriand, em Fortaleza. Mendonça et al.14 (João Pessoa, PB) também relataram, em 1993, um caso de rotura de gravidez abdominal avançada com feto vivo, quecursou com grave hemorragia. Devido à extrema singularidade, recomenda-se portanto a divulgação de todos os casos que venham a ser diagnosticados. No presente estudo, os autores relatam sua experiência com um caso de gestação abdominal tardia conduzido no Centro de Atenção à Mulher do IMIP, obtendo-se concepto vivo e evolução
611

RBGO - v. 21, nº 10, 1999

Santos et al

Gravidez abdominala termo

satisfatória, com sobrevivência materna e neonatal.

Relato do Caso
S.B.S., 43 anos, gesta IV para I (1 cesárea), procedente de Campestre (interior do estado de Pernambuco), admitida no IMIP em 8/5/1999, com história de dor abdominal desde o início da gestação, que piorava com os movimentos fetais e que tinha se intensificado nos três últimos dias. Negava distúrbios do ritmo...
tracking img