Gasoduto brasil e bolívia - artigo

GASODUTO BRASIL-BOLÍVIA
Iara Ferreira de Rezende
Faculdade de Engenharia Civil
Universidade Federal de Juiz de Fora

RESUMO
O gasoduto Brasil-Bolívia é considerado atualmente um dos maiores do mundo, e tem como propósito fornecer gás natural boliviano ao Brasil, indiferente ademanda energética interna. A idéia inicial do projeto surgiu na época da ditadura e ganhou um contexto maior, no momento em que o Brasil se viu diante de apagões que se tornou mais rotineiro, já na década de 90. O gasoduto começou a operar em 1999, ligando Corumbá , no Mato Grosso do Sul, a Guararema, no interior de São Paulo. Nos anos seguintes foram ocorrendo expansões a fim de interligar as redesde maior desenvolvimento econômico do país.

ABSTRACT
The gasoduto Brazil-Bolivia is considered one of the largest of the world now, and he has as purpose to supply Bolivian natural gas to Brazil, indifferent the demand energetics interns. The initial idea of the project appeared at that time of the dictatorship and it won a larger context, when Brazil saw himself before , to switch thatbecame more routine, already in the decade of 90. The gasoduto began to operate in 1999, in what it ties Corumbá, in Mato Grosso of the South, Guararema, inside São Paulo. The following years went happening expansions in order to attach the nets of larger economical development of the country.

1. INTRODUÇÃO
Este artigo tem como o objetivo analisar e discutir o gasoduto que interage principalmenteBolívia e Brasil. Destacando os pontos mais importantes deste transporte e as conseqüências que sua implantação promove na política internacional. Enfatizar a situação da empresa brasileira Petrobrás, que esteve presente em toda a implantação do gasoduto e atualmente é a responsável por subsidiar o gás boliviano no país.
O gás natural comparando aos outros combustíveis apresenta uma maiordificuldade de armazenamento, devido ao seu estado gasoso.Logo considerando a tecnologia existente, não é possível alcançar a estocagem de grandes volumes de gás a custos competitivos. Por isso a sua produção e consumo devem ocorrer de forma simultânea, o que existe grandes investimentos na rede física dos gasodutos que fazem conexões com os mercados consumidores.
Executado pela Petrobrás - PetróleoBrasileiro S.A., durante o governo do Presidente Fernando Henrique Cardoso, na década de 90, o gasoduto (Gasbol) atravessa 557 km no território boliviano, partindo da instalação industrial de gás natural de Rio Grande, a cerca de 40 km de Santa Cruz de la Sierra, atravessando o rio Grande e o campo petrolífero de Tita e alcançando a fronteira com o Brasil no município de Corumbá, Mato Grosso do Sul.Em território brasileiro o gasoduto tem cerca 2.589 km, partindo de Corumbá, passando pelas importantes regiões metropolitanas de Campinas (SP), Curitiba (PR), Florianópolis (SC) e chegando a Porto Alegre (RS) no sul do país. Em Campinas o Gasoduto tem uma conexão para Guararema, interligando-se com outro gasoduto já existente que liga Rio de Janeiro, São Paulo e Belo Horizonte - as trêsprincipais cidades do país. A extensão total aproximada é de 3146 km e o diâmetro entre 32 e 16 polegadas. O projeto inicialmente previu o transporte de 9 milhões de m3/dia em 1999, aumentando para um mínimo de 18 milhões no ano de 2006. A capacidade máxima está dimensionada para até 30 milhões de m3/dia. O contrato firmado entre os governos prevê o fornecimento gás por um prazo de 20 anos.
O projetofoi desenvolvido por Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos -YPFB, em parceria com a Enron Corporation (USA), do lado boliviano. É importante frisar que a Enron adquiriu praticamente todas as reservas comprovadas de gás da Bolívia. Esta companhia detém 20 % do comércio mundial deste combustível. No Brasil a responsabilidade é da Petrobrás e um consórcio formado pela Broken Hill Proprietary...
tracking img