GABARITO DO CADERNO 2 DE Monica

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1447 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 4 de agosto de 2015
Ler documento completo
Amostra do texto
GABARITO DO CADERNO 2 DE MÔNICA
Questões das páginas 21, 22 e 23.
01. Como o autor consegue gerar humor na tira?
R: O humor é provocado pelo deslocamento do sentido original da palavra RACISTAS: de
grupo humano com características físicas e hereditárias passa a grupo com comportamento
preconceituoso.

02.
a) O efeito de humor do cartum é construído a partir de um recurso linguístico. Que recursoé
esse?
R: O humorista representa graficamente a separação entre prefixo e radical, obtendo um
efeito de confronto entre os dois.
b) Qual seria o humor da situação criada?
R: Ao atirar no radical o prefixo comete um ato ilícito, recuperando-se o sentido da palavra
derivada.
c) Qual a diferença entre os morfemas identificados na palavra ilícito, do ponto de vista do
modo como funcionam na língua?
R:O radical é autônomo, pode ocorrer isoladamente e o prefixo não.

03. Explique o recurso utilizado pelo autor para chamar a atenção do leitor.
R: O autor recorre à composição por justaposição e cria um neologismo.

04.
a) O sentido da tira é construído pela oposição de dois termos. Quais são eles? Explique o
sentido de cada um.
R: Humana – o que é relativa ao ser humano.
Desumana – ausência dehumanidade.
b) O que está sendo criticado pela tira?
R: O modo desumano como vivem muitos brasileiros.
c) A crítica é construída pela mudança do significado de uma palavra obtida por uma
pequena alteração de sua forma. Como essa alteração modifica o sentido dessa palavra?
R: Agrega ao radical um sentido negativo.
d) Como você explica o efeito de sentido criado pelo autor?
R: Por meio de um jogo depalavras (humana x desumana), o autor denuncia a condição
miserável em que vivem os brasileiros.

05. Explique como a autora constrói o sentido de crítica social.
R: Pela diferenciação estabelecida entre os termos “vivente” (aquele que está vivo) e
“sobrevivente” (alguém que se mantém vivo à custa de esforço): naquela família, as pessoas
não vivem em sentido pleno porque lhes faltam as condições.06.
a) O texto transcrito centra-se na discussão do uso do verbo superfaturar. Explique a
formação dessa palavra.
R: derivação prefixal: acréscimo de prefixo a um radical.
b) Qual o sentido atribuído ao prefixo super?
R: Excesso ou intensificação.
c) Sérgio Rodrigues aponta, em seu texto, um uso equivocado desse verbo. Em que consiste
esse equívoco, segundo o autor?
R: A utilização desse verbocomo sinônimo perfeito de “exagerar” ou “superestimar”.
d) Explique por que tal uso é inadequado.
R: Porque ele é fortemente conotado no campo da economia.
e) O que explicaria, do ponto de vista semântico, esse equívoco?
R: Esse equívoco seria uma atribuição de sentido, privilegiando apenas o sentido de
intensidade associado ao prefixo super.

07.
a) Construa um parágrafo, explicando o sentido que aleitora Elza atribui ao sufixo – eiro.
R: Expressa falta de nobreza, de status, de autoestima.
b) Ainda com base no texto de Veríssimo, explicite a razão pela qual dono de banco é
denominado banqueiro, enquanto o funcionário é bancário.
R: O sufixo – EIRO indica aquele que explora um comércio, um estabelecimento.
O sufixo – ARIO indica profissão. O termo “banqueiro” seria depreciativo também porindicar
aquele que explora o dinheiro alheio, enquanto que “bancário” seria o funcionário, o
explorado.

08.
O sufixo (z)inho, empregado repetidamente na passagem “festinha no rostinho delazinha”, é
de enorme vitalidade na língua. Comprove essa vitalidade, no plano morfológico, a partir do
uso do diminutivo nos vocábulos da referida passagem.
R: Nesse contexto, o uso do diminutivo expressaafetividade, embora, habitualmente, seja
empregado para indicar tamanho.

09.
a) No titulo, chamado sintetiza dois sentidos com que a palavra aparece no poema. Explique
esses dois sentidos, indicando como estão presentes nas passagens em que chamado se
encontra.
R: Chamado – denominado, cognominado
Chamado – convocação
b) Na primeira estrofe do poema, fábula é derivada em fabulista e fabuloso. Mostre...
tracking img