Fundamentos filosóficos da educação

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas: 19 (4721 palavras)
  • Download(s): 0
  • Publicado: 30 de março de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
QUESTÃO 01:
Para Rousseau a criança deve apreender através dos desafios diários e até dos perigos, os pais ou cuidadores não devem poupá-las dos perigos cotidianos, que servirão de fortalecimento. Se a criança faz as coisas por si mesmo, dependerá menos dos outros, será mais autônoma. Ele condena a educação que coloca um monte de conhecimentos e compromissos para a criança no presente, comvistas a um futuro melhor, tornando-a triste hoje. Trazendo para os nossos dias, poderíamos exemplificar com a idéia que os pais tem de colocar os filhos em aulas de várias línguas pensando em seu futuro profissional. Para Rousseau isso é crueldade. Ele diz: “Porque encher de amarguras e dores esses principiantes que a natureza lhes dá; desde o momento que possam sentir os prazeres de serem, fazei comque dele gozem; fazei com que, a qualquer hora que Deus as chame, não morram sem ter gozado a vida. Para ele é importante respeitar os desejos da criança, sem imputar-lhe demasiadas correções: “[...] é preciso considerar o homem no homem e a criança na criança.” Ele defendia uma educação com liberdade, mas uma liberdade com regras, construída no processo educativos e não simplesmente impostas. “Aproposta educacional de Rousseau, expressa no livro Emílio ou da Educação, parte do principio de que a sociedade corrompe o ser humano desde a tenra infância. A educação natural dispensa os castigos artificiais; as ações das crianças sempre geram algum tipo de conseqüência. Por exemplo, a criança que não come, sente a dor conseqüente da sua ação: a fome. Contrariando o princípio de Rousseau, nosnossos dias é comum vermos os adultos castigarem uma criança por não comer; essa ação distancia-se da educação natural, porque ela acaba por comer pelo fato de os adultos quererem que elas comam e não por sentirem a necessidade de se alimentar.
Rousseau defendeu a criança como sujeito e preconizou a concepção de que ela era um ser com características próprias em suas potencialidades, idéias einteresses e não podia mais ser vista apenas como um “adulto em miniatura” (SANTOS, p.76).
A educação natural apresentada na primeira infância no “Emílio” é um tratado pedagógico que permaneceu vivo em todos os processos histórico e está muito presente na educação infantil atual mostrando a importância de respeitar a criança em seu mundo, com suas necessidades, mas também com grandes qualidades,responsabilidades construídas na “intervenção” do adulto.
É na infância que a criança deve dar os primeiros passos para desenvolver seu processo de conhecimento, para assim compreender-se a si mesma e o mundo que a cerca, e o ensino aprendizagem tem como função básica desenvolver um ser humano com liberdade e com valores morais.
Rousseau queria uma sociedade em que as pessoas fossem não apenaslivres e iguais, mas também soberanas, isto é, que tivessem um papel ativo dentro do contexto geral. Para isso, além de um contrato justo, seria preciso ensiná-las a ser livre, autênticos e autônomos, e essa tarefa deveria partir da educação das crianças. Emílio uma das obras de Rousseau inspirada no homem natural defende uma pedagogia que siga a natureza. Assim Rousseau propõe uma educação inovadoraque procura incentivar a expressão das tendências naturais da criança, em vez de reprimi-las ou discipliná-las, como era o mais comum naquela época. Rousseau coloca que a educação na infância deveria ser feita como amor e carinho, não com punições e castigos; no seio da família, através de exemplos práticos, despertando na criança a naturalidade, sobretudo os bons sentimentos e deixando emsegundo plano o aspecto teórico, racional.

Não se conhece a infância: com as falsas idéias que dela temos, quanto mais longe vamos, mais nos extraviamos. Os mais sábios apegam-se ao que importa que saibam os homens, sem considerar que as crianças se acham em estado de aprender. Eles procuram sempre o homem criança, sem pensar no que esta é, antes de ser homem (ROUSSEAU, 1995, p. 6).

Penso que a...
tracking img