Freud

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 13 (3045 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 4 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Freud - O desenvolvimento do ponto de vista da psicanálise.
 
 
 
O desenvolvimento ontogenético é analisado por Freud do p.v. da afectividade, do p.v. da dimensão psico-sexual.
 
A teoria de Freud tem por base dois conceitos, o inconsciente e a sexualidade, que revolucionam a própria conceptualização de homem.
 
Inconsciente - É a região obscura do psiquismo, uma instância psíquicaconstituída por tendências e desejos, actividade pulsional de origem orgânica que impõe uma satisfação imediata, não obedecendo ao principio da contradição nem à noção de tempo e que se rege, se regula, só pelo principio do prazer.
O inconsciente tem uma dimensão e um poder que conduz Freud a dizer que:" os processos psíquicos seriam em si mesmo inconscientes; e quanto aos conscientes, não passam deactos isolados, de fracções da vida psíquica total." Significa isto que a grande parte da nossa vida psíquica se realiza no inconsciente.
 
Os conteúdos do inconsciente tentam aflorar ao consciente sem sucesso
 
O inconsciente não é a simples ausência de consciência, mas uma estrutura psíquica contendo uma dinâmica pulsional, desejos recalcados e sendo regulado na sua actividade pelo princípiodo prazer.
 
Sexualidade - " A Segunda proposição que a psicanálise proclama como uma das suas descobertas, contém a afirmação que as pulsões, que apenas podemos qualificar de sexuais(...), desempenham, enquanto causas determinantes das doenças nervosas e psíquicas, um papel extremamente importante(...)"
A sexualidade é importante pois o inconsciente é fundamentalmente constituído por pulsõessexuais que,  regulando-se pelo p. do prazer, impõem uma satisfação imediata (atemporal)
e sem respeito por qualquer lógica (p. da contradição.).
 
 
Freud num primeiro momento da sua investigação propõe uma 1ª concepção do aparelho psíquico : 1ª tópica:
 
Inconsciente - tendências e desejos que buscam a realização e tentam penetrar na consciência.
 
                              Guarda - censura, proíbe os desejos, recalcando-os.
 
Pré- consciente - zona de desejos que passam a censura e que estão em estado de latência relativa, pois podem passar à consciência
 
Consciência - É a zona em que a vida psíquica é consciente de si e do que a rodeia; senciente em geral, descrimina; intencional; deliberativa; regulador.
 
 
 
Mais tarde Freud abandona esta 1ªtópica e formula uma 2ª concepção do aparelho psíquico:
 
2ª tópica - formada por três instâncias: Id, Ego, superego.
 
 
O Id - " É a parte obscura , impenetrável da personalidade e o pouco que sabemos dele aprendemo-lo estudando a elaboração do sonho e a formação do sistema neurótico."
 
O Id enquanto instância psíquica é inconsciente - corresponde ao inconsciente da 1ª tópica.
 
Naturezae funcionamento do Id -  " o que foi constitucionalmente determinado, portanto (...) pulsões emanadas da organização somática e que encontram no id (...) um primeiro modo de expressão psíquica."
" o Id é portanto originalmente um sistema de necessidades, dotado de um poder, de uma energia dados." O Id " enche-se de energia a partir das pulsões, mas não demonstra nenhuma vontade geral; tendesomente a satisfazer as necessidades pulsionais e a conforma-se com o princípio do prazer."
O Id faz a ligação entre o orgânico e psíquico. Representa no psiquismo as exigências de ordem orgânica.
Nos bastidores é composto por instintos que Freud reduz a dois:
- O instinto de vida, Eros, que compreende o instinto de conservação de si e da espécie, o amor de si e o amor objectal.
- Oinstinto de morte, destruição, que consiste, segundo Freud, na tendência de qualquer estado evolutivo recente retornar ao seu estado anterior. O orgânico ao inorgânico.
 
" A energia respectiva destes dois instintos fundamentais são a libido e a força destrutiva ou agressividade.( Encontram-se no id em proporções variáveis).
 
Resumindo:
 
Os conteudosinconscientes do Id são:
-...
tracking img