Frei luis de sousa

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1632 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 9 de janeiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Drama Romântico:
Modalidade do drama, que, como tal, privilegia a dinâmica do conflito, o drama romântico veicula conflitos emocionais, muitas vezes em situação do quotidiano.
No romantismo, em geral, despreocupado com uma expressão realista do mundo, opunha num conflito o herói e o vilão, embora a temática se tecesse sempre em volta de acontecimentos de cariz sentimental e amoroso.Garrett, recorrendo a muitos elementos da tragédia clássica, constrói um drama romântico, definido, por exemplo:
1. pela valorização dos sentimentos humanos das personagens;
2. pela tentativa de racionalmente negar a crença no destino, mas psicologicamente deixar-se afectar por pressentimentos e acreditar no sebastianismo;
3. pelo uso da prosa em substituição do verso e pela utilização deuma linguagem mais próxima da realidade vivida pelas personagens (diferente do tom solene da tragédia clássica);
4. sem preocupações excessivas com algumas regras, como a presença do coro ou a obediência perfeita à lei das três unidades (acção, tempo e espaço);
5. pelos indícios de uma catástrofe, o sofrimento crescente, o reduzido número de personagens, peripécias, o coro (Telmo Pais eFrei Jorge);
6. pelo amor à Pátria (o patriotismo e o nacionalismo de Manuel de Sousa Coutinho; o idealismo patriótico de Maria);
7. pela religiosidade, as crenças, os agouros, as superstições, as visões.

Frei Luís de Sousa de Almeida Garrett, apesar de ser um drama romântico, pode aproximar-se da tragédia clássica na medida em que é possível encontrar quase todos os elementos datragédia, embora nem sempre obedeça à sua estruturação objectiva; assim, é uma obra híbrida. Frei Luís de Sousa é um drama pela forma e uma tragédia pela índole.

Tragédia Clássica:
A tragédia é uma forma dramática ou peça de teatro, em geral solene, cujo fim é excitar o terror ou a piedade, baseada no percurso e no destino do protagonista ou herói, que termina, quase sempre, envolvido numacontecimento funesto. Nela se expressa o conflito entre a vontade humana e os desígnios inelutáveis do destino, nela se geram paixões contraditórias entre o indivíduo e o colectivo ou o transcendente.
Em sentido lato, pode abranger qualquer obra ou situação marcada por acontecimentos trágicos, ou seja, em que se verifique algo de terrível e que inspire comoção.

Elementos característicos datragédia:
* Hybris («crime» - desafio do protagonista ao erro trágico, consciente ou inconsciente):
D. Madalena: «crime» por amor: - apaixona-se por MSC ainda casada com D. João de Portugal ; casa pela 2ª vez sem ter a certeza absoluta da morte do 1º marido
MSC: «crime» político – incendeia o seu palácio para não receber os governadores do reino ; «crime» de amor – casa com D. Madalena semhaver certeza absoluta da morte de D. João de Portugal
* Clímax (auge das emoções) – D. Madalena sabe que o seu 1º marido está vivo (cena XIV, Ato II)
* Anagnórise (reconhecimento) – o romeiro identifica-se como D. João de Portugal (cena XV, Ato II)
* Catástrofe (desfecho trágico) – Morte da família: Maria (morte física) ; D. Madalena (entrada no convento do sacramento) ; MSC (entradano convento de Benfica, na ordem dos dominicanos) - (Ato III)
* Ananké (destino) – comanda o destino das personagens
* Pathos (sofrimento) – em crescendo – agitação de D- Madalena, revolta e indignação de D. Manuel, doença de Maria, provações do romeiro, angústias de Telmo
* Ágon (conflito) – conflito interior no espaço psicológico das personagens
* Peripécias (alterações no rumodos acontecimentos) – incendio do palácio de MSC (Ato I) ; chegada do romeiro (Ato II) ; entrada brusca de maria e seu discurso (Ato III)
* O Coro – representado por Telmo, Frei Jorge e os Frades.


Drama romântico
Nesta manifestação literária, pretende-se a representação próxima da realidade, em que o homem, embora movido por paixões que o poderão conduzir ao infortúnio, e, por isso...
tracking img