Free

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 25 (6240 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 22 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
OBRA ANALISADA:
ANDERSON, Chris. Free: Grátis: o futuro dos preços. Editora Elsevier. Rio de Janeiro, 2009, 6ª edição 269 p.

CREDENCIAIS DO AUTOR
Chris Anderson, é o autor do best-seller internacional “A cauda longa”. É editor-chefe da revista Wired e foi editor de negócios dos Estados Unidos do The Economist.
Começou a carreira em dois importantes periódicos científicos,Science e Nature. É formado em Física pela George Washington University e estudou Mecânica Quântica e Jornalismo Científico na University of California.

OBJETIVOS DO AUTOR:
O autor divide o livro em quatro partes. Na primeira apresenta o prólogo e o nascimento do Grátis, na segunda parte faz uma introdução do que é o Grátis e sua história, na segunda mostra como é o Grátis digital e quais asconsequências para a mídia digital e no terceiro descreve a Economia do Grátis e o Mundo Grátis, e a economia gerada em torno. Os itens estudados em cada uma das partes estão relacionados abaixo:

1. Prólogo:
▪ O Nascimento do Grátis.
2. O que é Grátis:
▪ Grátis: uma introdução: um breve curso sobre uma palavra incompreendida;
▪ A história do Grátis: Zero, almoço e os inimigos docapitalismo.
▪ A psicologia do Grátis: a sensação é boa. Boa demais?

3. O Grátis Digital
▪ Barato demais para fazer diferença: a lição da web: quando o preço cai pela metade todo o ano, o zero é inevitável;
▪ “A informação quer ser grátis”: a história de uma frase que definiu a era digital;
▪ Competindo com o Grátis: A Microsoft aprendeu a fazer isso ao longo das décadas, maso Yahoo só teve alguns meses;
▪ Desmonetização: O Google e o nascimento de um modelo econômico do século XXI;
▪ Os novos modelos da mídia: a mídia grátis não e novidade. A novidade é a expansão desse modelo a todo conteúdo on-line.
▪ Qual o tamanho da Economia Grátis? A coisa não se limita apenas à dólares e centavos.

4. A economia do Grátis e o mundo grátis
▪ Voltando àsraízes da economia: como uma piada de um século se transformou na lei da economia digital;
▪ Economias não monetárias: quando o dinheiro não é a regra, o que é?
▪ O desperdício (algumas vezes) é bom: a melhor forma de explorar a abundância é abdicar do controle;
▪ Mundo Grátis: A China e o Brasil são as fronteiras do Grátis. O que podemos aprender com eles?
▪ Imaginando aabundância: experimentos mentais em sociedades “pós-escassez”, da ficção cientifica à religião;
▪ “Você recebe pelo que paga”: e outras dúvidas sobre o Grátis;
▪ Conclusão: O Grátis em uma época de crise econômica;
▪ As regras do grátis: os 10 princípios da mentalidade da abundância.

IDÉIAS PRINCIPAIS:

Prólogo
Capítulo 1 – O Nascimento do Grátis.
O autor nos apresenta ahistória da gelatina e como a idéia de um carpinteiro de Nova York, Pearle Wait, em 1895, que estava decidido a tornar a gelatina mais atraente, teve a idéia de colocar corantes e essências. Com essa idéia, produziu a gelatina, a qual batizou de Jell-O, mas esse alimento era estranho demais para os consumidores da virada do século. Ele tentou durante dois anos instigar a atenção dos consumidores, semsucesso. Ele desistiu e vendeu a marca para o vendedor Frank Woodward, por míseros $450,00. Mas ele também não teve sucesso na venda do produto. Até que com a ajuda de seu diretor de marketing, William E. Humelbaugh, tentaram nova estratégia. Eles distribuíram de graça panfletos explicativos sobre o produto às donas de casa com receitas para fazer a gelatina. Depois os vendedores convenciam oscomerciantes e afirmavam que eles iriam vender muita gelatina e deveriam ter estoque. Assim em 1904, a campanha era um sucesso, dois anos depois a marca atingiu um milhão de dólares em vendas anuais. Assim criou-se uma das ferramentas de marketing mais importantes do século XX: dar uma coisa para criar demanda por outra.
Ao mesmo tempo, King Gilette maquinava novas invenções, com a frase de...
tracking img