Fisica 3

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2370 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 16 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
INTERFERÊNCIA E DIFRAÇÃO


Guilherme Morais Spíndola¹

Universidade Federal de Goiás¹

guiilhermems@hotmail.com


Resumo

O objetivo desse trabalho consiste em verificar e medir o espaçamento de uma rede de difração e os comprimentos de onda de quatro linhas espectrais da lâmpada de Hg.

Tentamos também verificar algumas propriedades através dos exercícios propostos na apostila,através de valores obtidos pelas medidas realizadas no Laboratório de Física IV, onde conseguimos colher valores satisfatórios e consequentemente alcançar os objetivos propostos.

Palavras-chave: Inferferência; difração.


Introdução

Quando ondas idênticas (a menos de uma diferença de fase) Provenientes de duas fontes superpõem-se em um ponto do espaço, a intensidade resultante das ondas quese combinam naquele ponto pode ser maior ou menor do que a intensidade de cada uma delas. Este efeito é chamado interferência. A interferência pode ser construtiva, quando a intensidade resultante é maior do que as intensidades individuais, ou destrutiva, quando a intensidade resultante é menor que as intensidades individuais.


[pic]



Figura 1: Interferência construtiva einterferência destrutiva.

O experimento de fenda dupla de Young é semelhante ao mostrado na figura abaixo, que é feito com luz.


[pic]
Figura 2: Princípio do experimento de Young.

A armação experimental consiste em uma fonte de luz (Laser), um anteparo com uma fenda, para que o Laser através de um processo de difração se abra, como se a fenda fosse uma fontepuntiforme de luz, de acordo com o princípio de Huygens, um anteparo com duas fendas, onde cada uma das fendas se comporta como uma nova fonte de luz, e um anteparo final, onde será observado o padrão (imagem) formado pela luz.

Cada ponto do anteparo (anteparo final) recebe a luz vindo de dois pontos distintos (as duas fendas do anteparo anterior), a diferença do percurso da luz proveniente de cada umadas fendas até o ponto de observação faz com que ocorra uma diferença de fase entre as ondas. Nos pontos aonde as duas ondas chegam em oposição de fase ocorre interferência destrutiva e então não é observada luz nenhuma, já nos pontos onde as ondas provenientes das duas fendas chegam em concordância de fase ocorre interferência construtiva e uma faixa brilhante aparece no anteparo.Figura 3: Raios de luz atravessando duas fendas.


Na figura acima estamos detalhando as duas fendas (A e B) bem como os raios de luz provenientes desta fenda com destino a algum determinado ponto no anteparo.

Como tipicamente a distância entre as fendas e o anteparo final é muito maior do que a abertura entre as fendas (d), os raios emergentes podemser considerados paralelos e a diferença de percurso é imediatamente calculada por [pic]. Onde na figura a diferença de percurso é o trecho AC. Quando essa diferença é um número impar de meio comprimento de onda ocorre que as duas ondas chegam em oposição de fase, o que caracteriza uma interferência destrutiva.

A realização desse experimento histórico deu grande peso à hipótese ondulatória daluz.

Para que efetivamente ocorra uma figura de interferência, a diferença de fase em um ponto sobre a tela não deve variar com o tempo. Se isso ocorrer, dizemos que os dois raios provenientes de A e B são completamente coerentes. A coerência pode ocorrer para quaisquer tipos de ondas.

A coerência de um feixe de laser resultou em numerosas aplicações. Em muitas desssas aplicações,o feixe delaser é separado em dois feixes, que percorrem caminhos diferentes e então são recombinados e interferem. Devido ao fato de o alcance da coerência da luz dos lasers ser de dezenas ou centenas de quilômetros, as figuras de interferência são produzidas para grandes diferenças de caminho entre dois feixes. Uma aplicação dessa coerência é a holografia, em que um feixe é refletido em um objeto e a...
tracking img