Financeiro

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1180 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 19 de maio de 2014
Ler documento completo
Amostra do texto
Decisões de investimento

O investidor, ao decidir aplicar seu capital, tem em suas mãos as seguintes
variáveis nas quais norteiam sua decisão: liquidez, segurança e rentabilidade. Essas
variáveis fazem parte do que chamamos de tripé da análise de investimento, pois
elas estão associadas e a preferência por uma implica a perda de outra. Não é
possível tomar uma decisão de investimentoobtendo ganhos com as três variáveis
conjuntamente. Exemplos:
 Aplicar na caderneta de poupança revela-se uma decisão segura, com alta
liquidez, mas baixa rentabilidade.
 Comprar um imóvel em condições que seu preço esteja abaixo do mercado
pode fornecer uma boa rentabilidade, mas sua venda pode ser demorada.
 Aplicar em ações pode fornecer alta rentabilidade, mas é uma decisão
arriscada,pois oscilações no mercado de bolsa podem ocasionar perdas.

Observa-se assim, que liquidez refere-se à capacidade de transformar o
investimento em dinheiro; quanto mais rápido o ativo investido transforma-se em
dinheiro, mais liquido ele é. Por sua vez, segurança está relacionada com a
previsibilidade do resultado. Quanto mais previsível é o valor do resgate de uma
aplicação, maior é asegurança. E, finalmente, rentabilidade é o retorno que se
obtém do investimento. Essas duas últimas variáveis serão discutidas mais
profundamente no decorrer deste texto.

Risco e incerteza

Segurança no investimento exige o entendimento do que vem ser incerteza e
risco. Segundo Assaf Neto (2001), em se tratando de decisões financeiras, não há
certeza quanto aos resultados da ação, uma vez queessas decisões fundamentam-se no futuro, o que evidentemente é incerto por natureza. Em existindo incerteza
quanto aos resultados de uma ação (evento) que se deseja tomar, buscam-se então
formas de reduzi-la. Podemos, então, por meio de métodos estatísticos, atribuir
probabilidades aos diversos resultados previstos para o evento.
Nestas condições, a decisão a ser tomada deixa de ser incertapara estar sob
uma situação de risco. Assim, segundo o autor, “risco pode ser entendido pela
capacidade de se mensurar o estado de incerteza de uma decisão mediante o
conhecimento das probabilidades associadas à ocorrência de determinados
resultados” (ASSAF NETO, 2001, p. 254). Ou seja, quando se há incerteza plena,
não há condições de emprego de conceitos de probabilidade para avaliação doevento.
Exemplificando o que estamos falando, imagine uma situação bem simples de
lançar dois dados honestos e desejar que ocorra o evento: soma dos dados é oito.
De fato, há uma incerteza quanto aos resultados, em particular ao evento que
desejamos. Contudo, podemos montar um quadro com todas as possibilidades de
ocorrência e, assim, encontrarmos a probabilidade de ocorrer o evento quedesejamos. Veja o quadro a seguir:

1º lançamento
2

3

4

5

6

1
2º lançamento

1
(1,1)

(1,2)

(1,3)

(1,4)

(1,5)

(1,6)

2

(2,1)

(2,2)

(2,3)

(2,4)

(2,5)

(2,6)

3

(3,1)

(3,2)

(3,3)

(3,4)

(3,5)

(3,6)

4

(4,1)

(4,2)

(4,3)

(4,4)

(4,5)

(4,6)

5

(5,1)

(5,2)

(5,3)

(5,4)

(5,5)

(5,6)

6

(6,1)(6,2)

(6,3)

(6,4)

(6,5)

(6,6)

Lançamento de dois dados

Note que temos 5 resultados possíveis ao evento que desejamos sob um total

5
 0,14 , ou seja, há
de 36 resultados, daí a probabilidade do evento desejado é
36
14% de chance de que ocorra soma 8 num lançamento de dois dados.
Observe que no exemplo partimos de uma situação de total incerteza quanto
ao resultado doevento para uma estimativa quanto à ocorrência, medida pela
probabilidade, e que no contexto afirmamos que há um risco de 14% de ocorrer o
evento. Assim, em última análise, risco é uma incerteza que pode ser medida; ao
contrário, incerteza é um risco que não pode ser avaliado.

Retorno

Com já afirmado, rentabilidade é uma variável que o investidor presta uma
especial atenção quando está...