Fim do mundo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 26 (6273 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 20 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Literatura Brasileira – Simbolismo
Cruz e Souza e o Simbolismo
Características do Simbolismo:
• Linguagem sugestiva e abstrata, que prefere sugerir a nomear;
• Presença abundante de metáforas (sugestão), comparações, aliterações, assonâncias, paronomássias  (musicalidade) e sinestesia;
• Subjetivismo;
• Antimaterialismo e anti-racionalismo: a razão é incapaz de explicar o espírito;
•Misticismo e religiosidade;
• Pessimismo e dor de existir - A dor leva ao prazer - Elevação de espírito;
• Desejo de transcendência, de integração cósmica;
• Interesse pelo noturno (trevas da vida material), pelo mistério e pela morte;
• Interesse pela exploração das zonas desconhecidas da mente humana (emoção e espírito) e pela loucura;
• Sinestesia: Naturalismo - Criar um ambiente real;
•Simbolismo: abrir o sentido;


Influências:
✓ Bérgson: intuição;
✓ Freud: o sonho - subconsciente;
✓ Schopenhauer: Karma - Nirvana;
✓ Baudelaire:  Teoria da correspondência entre os sentidos. Uso de sinestesia;
✓ Mallarmé: Sugestão. Quebra a letargia (preguiça mental);
✓ Paul Verlaire: a musicalidade;
✓ Verlaire: Musicalidade;
✓ Rimbaud: A linguagem denotativa é incapaz de captaro universo espiritual - Psicologia do ser;
Autores: 
|Cruz e Sousa: |Alphonsus de Guimaraens: MG |
|- Tropas e fantasia; |- O Solitário de Mariana; |
|- Missal  |- Poesia barroca: Matéria x Espírito; |
|- Broqueis; |- Poesia transcendental;  |
|- Faróis;| |
|- Evocações: | |
|- Últimos sonetos: | |
|Tranqüilidade: nirvana; | |

Poema Simbolista

"A música da morte, a nebulosa,
estranha, imensa música sombria,
passa a tremer pela minh'almae fria
gela, fica a tremer, maravilhosa...
Onda nervosa e atroz, onda nervosa,
Letes sinistro e torvo de agonia,
Recresce e lancinante sinfonia,
Sobe, numa volúpia dolorosa
Sobe, recresce, tumultuando e amarga,
tremenda, absurda, imponderada e larga,
de pavores e trevas alucina
E alucinado e em trevas delirando,
Como um ópio letal, vertiginando,
Os meus nervos, letárgica, fascina..."( Cruz e Souza in "Música da morte" )
Numa época em que os homens estavam confiando muito neles mesmos e na ciência , quando a literatura produziu obras de cunho realista, naturalista ou mesmo parnasianas que tentaram destruir o sonho Romântico de uma vez por todas, surge um grupo de poetas que apostaram todas as fichas num sonho de transcendência: foram os Simbolistas. Mais uma vez, a Françaservia de berço para uma vanguarda literária. É certo que o precursor era um poeta norte- americano : Edgar Alan Poe era o seu nome ( seu principal poema é "O Corvo" -1845- que expõe um viúvo a lamentar- se da morte da esposa, Lenora e é então visitado por um estranho corvo, símbolo do além , numa noite de mistérios). Poe escrevia histórias de terror (contos), ensaios e poemas. O pobre Edgar comeuo pão que o diabo amassou numa sociedade conservadora como era a americana. Do mesmo modo, os poetas franceses simbolistas também foram chamados de malditos (eram pessimistas às vezes) ou decadentistas ( "religião, costumes , justiça, tudo decai...") .
Em comum com o Parnasianismo: preocupação com a forma, culto à rima, preferência pelo soneto, distanciamento da vida "comum" - viviam numaespécie de torre-de-marfim, eram chamados também nefelibatas (viviam nas "nuvens" ).
Poetas franceses(Simbolistas): Baudelaire (buscou aproximar o físico do metafísico-a "a teoria das correspondências") . Verlaine ( experimentou a musicalidade), Mallarmé (hermetismo, rebeldia sintático- semântica). Rimbaud (alquimia vocabular, o poder encantatório do vocábulo). É comum nestes poetas a ruptura com o...
tracking img