Filosofia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 11 (2631 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 2 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
FILOSOFIA ORGANIZACIONAL















RESENHA
Pensamento Filosófico na America Latina

















Salvador
2013




















RESENHA
Pensamento Filosófico na America Latina



Trabalho apresentado á Faculdade de Ciências da Bahia como requisito parcial para obtenção de crédito da Graduaçãono curso de Filosofia Organizacional.
















Salvador
2013
A apostila “Pensamento Filosófico na America Latina”, fala de diversos pensadores latinos americanos, no decorrer do século XX. Com o objetivo de demonstrar a evolução do projeto de construção de uma filosofia latino-americana. Mediante considerações mínimas das proposições de Salazar Bondy, RaúlFornet-Betancourt e Domingos Enrique Dussel.
Filosofar é um ato de exercer a liberdade de pensamento que não concorda ser amparado por religiões, projetos políticos, ideologias ou crenças de qualquer natureza. Pôr tudo a prova, perguntar as razões e os motivos subjacentes às escolhas humanas para chegar às melhores razões e aos melhores motivos que permitam ampliar a liberdade de todos sãoalgumas das características do filosofar. É próprio da filosofia, ter cuidado em criticar-se a si mesma, afastar qualquer tipo de crendice ou superstição que limite o seu próprio modo de pensar. Portanto, não existem definições ao filosofar que impeçam qualquer pensador de escolher os temas de sua pesquisa e os métodos que serão utilizados.
A filosofia latino-americana foi marcada desde o seuinício por uma investigação minuciosa e constante de construção e reconstituição de uma identidade legítima dos povos do continente. Tudo isso é resultado de uma história desordenada, que vivenciou a invasão das terras e a destruição das culturas nativas pelos vencedores europeus. Quando se enfraquecem os quadros sociais e mentais dos indivíduos, são muitos os que se põem a pensar e repensar asbarreiras que inquietam indivíduos, povos e nações. Em pouco tempo, como que atingidos por uma perseguição firme, uns e outros, em diferentes setores sociais, fazem de tudo para compreender ou explicar as realizações e os empecilhos, as condições, às possibilidades, as frustrações e as ilusões que marcam e demarcam a história e o pensamento latino. Percebo que são vários insignes e abundantes osparalelismos, as convergências e os contrapontos que se tornam mais numerosos na origem e nas transformações da América Latina, tomada como um todo e em suas diferentes nações. Embaraçam-se em realidades e ficções, conceitos e metáforas, categorias, tipos e mitos. É como se a história fosse legível ou não, opaca, transparente, difusa, articulada e onipresente. Assim acontecem com os pensadoreslatino-americanos, pensadores também de outras nações e continentes. Sabe-se que a história da filosofia é uma condição para qualquer pessoa que se pretenda filósofo, sem os preconceitos e receios que este termo possa trazer. Os pensamentos dos pesquisadores da América latina, que são influenciados pela modernidade ou pela pós-modernidade, não têm nada de homogêneo ou enfadonho. Seja o romantismo, opositivismo, o nacionalismo, o anti-imperialismo, o socialismo, o desenvolvimentismo, o anti-colonialismo, entre outros, quando acontecem na América Latina, figuram com cores novas e base diferenciada. Estes pensamentos podem não ser tão comuns as categorias, os conceitos, as interpretações, as metáforas expressas pelos autores latino-americanos, mas com certeza, significam uma visão original e vivada realidade sociocultural e político-econômica do continente. As diferentes contribuições representam narrativas com as quais podemos aprender, apreender, debater e criticar as dinâmicas relacionais nas quais estamos inseridos.
Na filosofia hegeliana continua a incutir reflexões novas, a lançar desafios à inteligência, a legitimar o conservadorismo de alguns e o uso revolucionário de...
tracking img