Filosofia medieval

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 18 (4441 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 5 de setembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
FILOSOFIA MEDIEVAL

A FORMAÇÃO DO MUNDO OCIDENTAL

Caracterização da Filosofia Medieval

• Na Idade Média, ocorreu um intenso sincretismo entre o conhecimento clássico e as crenças religiosas. De fato, uma das principais preocupações dos filósofos medievais foi a de fornecer argumentações racionais, espelhadas nas contribuições dos gregos, para justificar as chamadasverdades reveladas da Igreja Cristã e da Religião Islâmica, tais como a da existência de Deus, a imortalidade da alma etc.

• Principais períodos

• Patrística (I d.C – VII d.C):

• É um período que se caracteriza pelo resultado dos esforços dos apóstolos (João e Paulo) e dos primeiros Padres da Igreja para conciliar a nova religião com o pensamento filosófico mais corrente da épocaentre os gregos e os romanos. Não obstante, tomou como tarefa a defesa da fé cristã, frente as diversas críticas advindas de valores teóricos e morais dos “antigos”.

• Os nomes mais salientes desse período são os de Justino, Tertuliano, Clemente de Alexandria, Orígenes, Gregório de Nazianzo, Basílio, Gregório de Nissa.

• Eles representam a primeira tentativa de harmonizar determinadosprincípios da Filosofia grega (particularmente do Epicurismo, do Estoicismo e do pensamento de Platão) com a doutrina cristã.

• Eles não só estavam envolvidos com a tradição cultural helênica como também conviviam com filósofos estóicos, epicuristas, peripatéticos (sofistas), pitagóricos e neoplatônicos.

• Medieval (VIII d.C – XIV d.C):

• Período bastante influenciado pelopensamento socrático e platônico (conhecido aqui como neoplatonismo, vindo da filosofia de Plotino). Ocupou-se em discutir e problematizar Questões Universais. É nesse período que o pensamento cristão firma-se como "Filosofia Cristã", que mais tarde se torna Teologia.

• Renascença (XIV d.C – XVI d.C):

• É marcada pela descoberta de obras de Platão desconhecidas na Idade Média e novasobras de Aristóteles, ainda temos a recuperação de trabalhos de grandes autores e artistas gregos e romanos. São três as linhas de pensamento: Neoplatonismo e Hermetismo; Pensamentos florentinos e por fim o Antropocentrismo iniciático (homem dono do seu destino).

• Foi um período marcado por uma efervescência teórica prática, alimentada principalmente por descobertas marítimas e crisespolítico-culturais que culminaram em profundas críticas à Igreja Católica, que evoluíram para Reforma Protestante (a Igreja Católica responde com a Contra-Reforma e com a Inquisição).

• O surgimento da Filosofia Cristã

O panorama histórico onde se desenvolveu o pensamento filosófico cristão, apresenta aspectos controvertidos. Seus limites cronológicos são imprecisos: alguns historiadoresiniciam a Idade Média com o Edito de Milão, em 313; outros, com o batismo de Constantino, em 337; outros, ainda, com a queda do imperador Rômulo Augusto, destronado por Odoacro, rei dos hérulos, em 476, quando se instalou o domínio dos bárbaros sobre o império romano do ocidente.

• O final da Idade Média é, geralmente, fixado com a queda do império romano do oriente, em 1453, quando os turcostomaram Constantinopla.

• A noção de Idade Média também gera controvérsias; alguns a entenderam como mero intervalo cronológico entre duas culturas (a antiguidade clássica e o renascimento); outros, como um conceito cultural.

• Foi considerada como intervalo cronológico, principalmente pelos renascentistas e os iluministas do século XVIII, para eles, a Idade Média foi vazia de arte,ciência e filosofia: foi a idade das sombras e das trevas.

• Como conceito cultural, ao contrário, a Idade Média apresenta um ideal de vida cultural, política e religiosa, que deixou marcas estáveis na arte, na organização social e política e na cultura.

• Por exemplo, a construção das catedrais românicas e góticas, a fundação das primeiras universidades como Paris e Oxford, do...
tracking img