Filhos adultos morando com os pais

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2021 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 16 de julho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Irene Gonçalves Ferreira

FILHOS ADULTOS MORANDO COM PAIS

Londrina
2012

Irene Gonçalves Ferreira

FILHOS ADULTOS MORANDO COM PAIS

Trabalho apresentado no curso de PósGraduação de Aconselhamento Pastoral e
Teoterapia, na disciplina de Panorama do
Aconselhamento Cristão, sob orientação da
Professora Lilia Ransan Gouvea.

Londrina
2012

Introdução
Com o grande investimentoque se fez nos últimos anos à entrada da
mulher no mercado de trabalho, ocorreu uma mudança nos jovens. Muitos sonham
alcançar a independência e ter seu próprio canto , porém, alguns prolongam a
solteirice, ultrapassando os 30 anos morando com os pais. É cada vez mais evidente
que eles não têm a mesma premência de sair de casa, pois, a liberdade aumentou e
as questões de estudo e trabalhoficaram mais exigentes, aumentando o período em
que os filhos permanecem na casa dos pais.
O presente trabalho tem como tema “filhos adultos morando com pais”,
passando pelo estudo em questão e a apresentação ao final de soluções através do
aconselhamento, seguindo as ideias, métodos e pressupostos do conselheiro Gary
Collins. O qual tem por objetivo levar o aconselhando a ter uma vida abundanteem
Cristo, ajudando-o a mudar de comportamento, atitude, percepção e valores.

Desenvolvimento

Atualmente,

pai

e

mãe

necessitam

trabalhar

fora

para

suprir

economicamente a família, e a ausência de ambos interfere de maneira diferente no
desenvolvimento dos filhos. Assim, o tema nos leva a estudar o desenvolvimento
humano para conhecer as características comuns,as formas de perceber,
compreender e se comportar diante do “mundo” de uma determinada faixa etária.
Jean Piaget1 enfatiza quatro aspectos do desenvolvimento intelectual, bem
como, a evolução do 4º período inicia a partir dos 12 anos:

· 1º período: Sensório-motor (0 a 2 anos);
· 2º período: Pré-operatório (2 a 7 anos);
· 3º período: Operações concretas (7 a 11 ou 12 anos);
· 4º período:Operações formais (11 ou 12 anos em diante);
1

Jean Piaget (1896-1980) Psicólogo, Biólogo e Filósofo suíço, conhecido por seu trabalho pioneiro no campo da
inteligência infantil.

2

11 anos

- idade que começa a se liberar do concreto em proveito de interesses
orientados para o futuro;

22 anos

- adquire maior autonomia em relação aos seus pais e entra numa fase
de estabilidade,através de um relacionamento afetivo, perspectivado
no seu próprio núcleo familiar;

28 anos

- entra na fase de transição onde analisa o seu padrão de vida fazendo
escolhas pessoais e profissionais;

33 anos

- atingi um novo período de estabilidade. Focaliza a sua atenção no
desenvolvimento das suas capacidades profissionais aplicando a sua
experiência.
Alberto Friesen2 apresenta asdependências do desenvolvimento humano

e descreve como sucede os níveis de inter-relação:

Nível
Dependência

Descrição de relação
até - A falta de segurança e afeto terá como consequências:

os 13 anos

imaturidade, carência excessiva, insegurança, incapacidade
de desenvolvimento e intimidade relacional;

Contradependencia - O jovem está maduro para experimentar e afirmar suasde 13 aos 26 anos

capacidades pessoais de sobrevivência. Nesta fase ele se
afasta dos pais e familiares, se aproxima de pessoas de sua
própria idade, definindo sua identidade;

Independência

de

26 aos 39 anos

-

Nível

da

conquista

do

espaço

profissional,

do

reconhecimento social, do papel paternal e da autoconfiança.
Percebe e aprende que é possívelsobreviver pelos esforços
próprios.

Interdependência a

- Nível de vivência equilibrado, onde a individualidade definiu

partir dos 39 anos

o seu espaço e onde a mutualidade se transformou numa
experiência de intimidade profunda e satisfatória.

As considerações de Piaget no 4º período do processo evolutivo e as
descrições de dependência do ser humano de Friesen, mostram que o homem, a
2...
tracking img