Figurações do exílio em camilo pessanha e mário de sá-carneiro

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 120 (29935 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 17 de dezembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
SUMÁRIO Introdução........................................................................................................................8 1. O exílio no fin-de-siècle..............................................................................................10 1.1 A ausência e a dor....................................................................................................10 1.2Auto-exílio: a Torre de Marfim..............................................................................15 1.3 Passos do Simbolismo em Portugal........................................................................29 1.4 Em Orpheu, transição para a modernidade..........................................................33 2. Camilo Pessanha, o Simbolismo emPortugal.........................................................41 1.1 Fé e morte.................................................................................................................46 1.2 Exilado em si............................................................................................................54 1.3 O exílio naClepsidra...............................................................................................62 3. Mário de Sá-Carneiro: o sonho e o delírio..............................................................65 1.1 Eu: castelo em ruínas..............................................................................................74 1.2 Elevação e queda......................................................................................................80 1.3 Eu,sujeito-objeto.....................................................................................................84 Conclusão: O Poeta e o alhear-se da própria existência............................................93 Bibliografia.....................................................................................................................99Abstract.........................................................................................................................104

Introdução

Ao nos debruçarmos sobre a produção de poesia em Portugal, considerando a abrangência do período que compreende desde as manifestações dos movimentos romântico, simbolista e decadentista – os que perpassam o século XIX -, é sem grandes dificuldades que observamos a recorrência do tema do exílio (se é que podemos chamá-lo tema,como discutiremos logo em seguida a fim de esclarecermos o conceito tal como o compreendemos e desejamos utilizar neste trabalho). A investigação a que aqui nos propomos diz respeito justamente a esse fenômeno que amiúde se faz ver na poesia do período de transição entre os séculos XIX e XX. Identificando suas diferentes faces dentro de cada movimento literário e tendo como corpus textos poéticosde diversos autores, pretendemos compreender suas motivações, relacionando-as ao momento histórico, social e principalmente literário em que se encontram. Depois desse breve estudo do exílio, achamos por bem nos ater à sua manifestação na obra de dois dos maiores expoentes da poética moderna portuguesa: em Camilo Pessanha, buscamos uma melhor compreensão do exílio para o Poeta simbolista, uma vezque o autor tão bem incorpora os traços que são consensualmente atribuídos àquela escola; já investigando a poética de Mário de Sá-Carneiro, o intuito primeiro é o de indicar, comparativamente, as ligações do pré-modernismo com as escolas literárias do século anterior ao seu, mostrando, assim, o quanto a Geração de Orpheu, introdutora do modernismo em Portugal, ainda teve de transição entre asheranças oitocentistas e o modernismo das Vanguardas; procuraremos também apontar possíveis paralelos dessa poética com a de Pessanha, para, finalmente, concluir nosso estudo sistematizando as diversas formas que toma o exílio na produção dos dois poetas em menor âmbito, e nas duas escolas sob uma perspectiva ampliada.

8

O título de nosso estudo adianta, de certo modo, algumas das faces do...
tracking img