Fichamento

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1324 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 24 de novembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Universidade Anhanguera - Uniderp
Centro de Educação a Distância

Nome: Núbia dos Santos Rodrigues RA: 292810
Instituição de Ensino: Universidade Anhanguera Uniderp Pólo Tucuruí
Curso: Serviço Social 1° Semestre
Disciplina: Leitura e Produção de Texto
Professor interativo: Profª Me. Ângela Cristina CatonioProfessor Local: Ângela Mª Lima de Carvalho

Autor: Leonor Lopes Fávero
Obra: Coesão e Coerência Textuais
Editora: Ática 11ª edição em São Paulo, 2006 v.36 104 pag.
Coleção: Série Princípios

Texto em sentido amplo, designando toda e qualquer manifestação da capacidade textual do ser humano, e, em se tratando de linguagem verbal, temos o discurso, atividade comunicativa de um sujeito,numa situação de comunicação dada, englobando o conjunto de enunciados produzidos pelo locutor. (pág. 07)
A coesão, manifestada no nível micro textual, refere-se aos modos como os componentes do universo textual, isto é, as palavras que ouvimos ou vemos, estão ligados entre si dentro de uma seqüência. (pág.10)
A coerência, por sua vez, manifestada em grande parte macro textualmente,refere-se aos modos como os componentes do universo textual, isto é, os conceitos e as relações sob jacentes ao texto de superfície, se unem numa configuração, de maneira reciprocamente acessível e relevante. Com isto, entram, na análise geral do texto, tanto as condições gerais dos indivíduos como os contextos institucionais de produção e recepção, uma vez que estes são responsáveis pelos processosde formação de senti dos comprometidos com processos sociais e configurações ideológicas. (pág.10)
A Gramática da língua portuguesa, de apresenta a coesão como podendo ser gramatical e lexical. A gramatical pode ser frásica, interfásica (junção), Feitas estas considerações, está-se tornando possível chegar a uma proposta teórica diferente das já sugeridas: umaclassificação em termos de função que exercem esses mecanismos na construção do texto e não de classes de palavras, de léxico etc.(pág. 16)
Um texto não pode manter o tempo todo suas entidades indefinidas, pois elas não seriam localizáveis no universo cognitivo. O mais freqüente é uma proporção de três para um na relação entre defini dos e indefinidos; às vezes o indefinido não aparece. O artigopermite a antevisão da informação e sua recuperação no texto: uma expressão introduzida por um definido tem um valor argumentativo bem grande; o autor cria um universo textual em que o referente determinado pelo artigo ganha existência.(pág. 22).
Não existe sinonímia verdadeira, já que todos os elementos léxicos são, de algum modo, diferenciados e alíngua não é um espelhamento simétrico do mundo. O importante é a identidade referencial, pois a sinonímia não é um problema puramente léxico, mas textual. (pág.23)
Todo e qualquer texto tem uma multivocidade inerente (= muitas leituras); o enunciador faz sempre uma interpretação do texto-fonte e, assim, não só o restaura de modo diferente, mas também faz uma interpretação dotexto-derivado no momento em que o produz como paráfrase”. Contribui para a coesão de texto, já que atua como articuladora entre informações antigas e novas; distingue-se da repetição na medida em que possui uma característica importante: a criatividade — ausente daquela, caracterizada pelo automatismo. (pág. 29).
Os mecanismos de coesão seqüencial strictu sensu (porque todacoesão é, num certo sentido, seqüencial) são os que têm por função, da mesma forma que os de recorrência, fazer progredir o texto, fazer caminhar o fluxo informacional. Diferem dos de recorrência, por não haver neles retomada de itens, sentenças ou estruturas. Embora todo texto coeso tenha uma seqüenciação temporal (já que a coesão é linear) uso o termo em sentido...
tracking img