Fichamento sociologia e antropologia, mauss, marcel. sexta parte: “as técnicas do corpo”, p. 399-422.

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1174 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 19 de fevereiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Referência bibliográfica: MAUSS, Marcel. Sociologia e Antropologia. São Paulo: Cosac & Naify, 2003. Sexta parte: “As técnicas do corpo”, p. 399-422.



No texto em questão o autor discorre sobre como os indivíduos, em diversas sociedades usam seu corpo e como o fazem.O texto está dividido em quatro seções:

I. Noção de técnica do corpo;

II. Princípios de classificação das técnicas docorpo;

III. Enumeração bibliográfica das técnicas do corpo;

IV. Considerações gerais. 

Na primeira seção o autor inicia conceituando a técnica do corpo como a maneira pela qual o indivíduo utiliza-se de seu corpo, manifestando na forma como certas atividades são executadas, ou seja, da técnica, em sociedades e tempos diferentes e conclui afirmando que todas as técnicas do corpo nos sãoimpostas. 

Na segunda seção o autor aponta os princípios de classificação das técnicas do corpo apresentando-os em quatro “pontos de vista”: diferenças entre sexos; variação com as idades dos indivíduos; em relação ao resultado obtido do uso da técnica e, finalmente, tradição ou transmissão da forma da técnica.

 Na terceira seção o autor nos apresenta diferentes técnicas do corpo utilizadas pordiversas sociedades divididas por fases da vida. A princípio o autor apresenta algumas técnicas do nascimento e da obstetrícia. Depois, já na adolescência, o autor destaca este como “o grande momento da educação do corpo”, pois ocorre nesta fase a aprendizagem definitiva das técnicas que serão levadas por toda a vida do indivíduo. Conclui a seção com um panorama das técnicas do corpo na idadeadulta, dividindo-os em “diversos momentos da jornada em que se repartem os movimentos coordenados e pausas.” São abordadas técnicas do sono, repouso, movimento, cuidados com o corpo, consumo e reprodução.

O autor finaliza o texto considerando as séries de atos como montagens “fisio-psico-sociológicas, por vezes “montada pela autoridade social e para ela”, destaca que por se tratar de movimentoscorporais “tudo supõe um aparelho biológico, fisiológico” reservando aos fatos psicológicos um papel de “meio”, e não causa, salvando os casos criativos e reformistas.

Afirma que adaptar o corpo a fim de resolver uma situação demandante de certo uso é o fundamento da educação da técnica do corpo e que através do retardamento de ações impulsivas é que se torna possível a vida social.

“Técnicasdo Corpo: maneiras pelas quais os homens, de sociedade a sociedade, de uma forma tradicional, sabem servir-se de seu corpo”. (p. 401)-

“Uma habilidade manual só se aprende lentamente. Toda técnica propriamente dita tem sua forma. Mas o mesmo vale para toda atitude do corpo. Cada sociedade tem seus hábitos próprios”. (p.403)-

“A posição dos braços e das mãos enquanto se anda é umaidiossincrasia social, e não simplesmente um produto de não sei que arranjos e mecanismos puramente individuais,quase inteiramente psíquicos”. (p.404)-

“Há posições da mão, em repouso, convenientes ou inconvenientes. Assim, podeis adivinhar com certeza, se uma criança conserva à mesa os cotovelos junto ao corpo e, quando nãocome, as mãos sobre os joelhos, que da é inglesa. Uma criança francesa não secomporta mais assim: abre os cotovelos em leque e os apóia sobre a mesa, e assim por diante.”(p.404)-

“"Habitus":A palavra exprime, infinitamente melhor que "hábito", a "exis" [hexis], o"adquirido" e a "faculdade" de Aristóteles (que era um psicólogo). Ela não designa os hábitos metafisicos, a "memória" misteriosa, tema de volumosas ou curtas e famosas teses. Esses"hábitos" variam não simplesmentecom os indivíduos e suas imitações, variam sobre tudo comas sociedades, as educações, as conveniências e as modas, os prestígios. É preciso ver técnicas e a obra da razão prática coletiva e individual lá onde geralmente se vê apenas a alma e suas faculdades de repetição.”(p.404)-

“É o tríplice ponto de vista, o do "homem total", que é necessário. Biológico, psicológico e sociológico”....
tracking img