Fichamento do texto: documentação em serviço social: debatendo a concepção burocrática e rotineira

FICHAMENTO DO TEXTO: Documentação em Serviço Social: Debatendo a Concepção Burocrática e Rotineira


Introdução

A documentação tem a importante tarefa de oferecer subsídios para análise e a intervenção do Serviço Social na realidade. É parte da sistematização de dados para o desenvolvimento teórico-prático profissional. No entanto, historicamente, ela vem cumprindo o desagradável papel decontrole sobre a ação dos profissionais nos espaços institucionais, ou é entendida pelos próprios assistentes sociais como um instrumento de cunho meramente administrativo. O que se observa é que essas duas formas de ver a documentação se relacionam intimamente com a burocratização que impregna o nosso trabalho. (p.65)

[...] costumamos tratar a documentação apenas como um apanhado de informaçõesúteis ao pronto atendimento de uma necessidade trazida pelos usuários da instituição e/ou como uma obrigação para justificar ou prestar contas de nossa ação junto à direção, reforçando, assim, seu caráter controlista. (p.65)

[...] isso contribui para reiterar a equivocada dificuldade dos profissionais em relacionar teoria e prática, aspecto historicamente mal entendido da profissão, [...].(p.65)

1. Relação teoria-prática: um debate necessário para entender o papel da documentação

[...] não há uma separação estanque entre teoria e prática. (p.66)

A teoria e a prática constituem [...] aspectos inseparáveis do processo de conhecimento e devem ser consideradas na sua unidade, levando em conta que a teoria não só se nutre na prática social e histórica como também representa umaforça transformadora que indica à prática os caminhos da transformação. (p.66)

Na tradição marxista, em suas várias vertentes, encontramos a defesa da unicidade entre razão filosófica e realidade social, que possibilita a ultrapassagem da histórica separação entre o conhecer e o agir. Trata-se da superação das dicotomias da metafísica, já que, nessa concepção, a razão penetra a realidade,imiscui-se, transforma a história, transformando-se em história. A prática, nesse caminho teórico-metodológico, tem conteúdo muito distante daquela que possui apenas e tão somente finalidades imediatas e mesmo utilitaristas. (p.66)

A prática aqui tratada é histórica, originária da sociedade capitalista [...], tem seu fundamento no trabalho social, trabalho coletivo. É atividade criadora quepossibilita a objetivação dos seres sociais em relação com outros, mas em uma sociedade que cria as condições para a alienação, já que a força de trabalho toma a forma social de mercadoria. (p.66)

Nesse tipo de sociedade, a prática social não se revela na sua imediaticidade. Criam-se, nas relações sociais capitalistas, inúmeras e complexas formas de obscurecimento, ao mesmo tempo em que,contraditoriamente, são engendradas [...] (p.67)

[...] ao mesmo tempo em que reconstrói no plano das idéias o movimento do real, a teoria afirma-se, também, como crítica teórica das elaborações que explicam essa dinâmica do real, estabelecendo o debate imprescindível com o acervo da produção intelectual acumulada. Dessa maneira, a teoria não se “aplica” ao real, mas fornece parâmetros para uma análisehistórico-crítico da realidade e ilumina as possibilidades de ação, atualizando-se na apropriação do movimento desse próprio real. (p.67)

[...] a perspectiva teórico-metodológica de que falamos não se reduz a pautas, etapas, procedimentos e instrumentos profissionais. Ela os incorpora, mas vai além porque se relaciona com o modo de ler, interpretar e articular-se com a realidade, com os seres sociaisorganizados em classes que se encontram em permanente luta. [...] (p.67)

[...] documentar é registrar, sendo, portanto, um instrumental-técnico, uma mediação valiosa no processo de materialização da relação entre teoria e a prática no trabalho profissional. (p.68)

2. O papel da documentação como instrumental técnico no trabalho profissional

O instrumental técnico não é um conjunto de...
tracking img